Destaques

terça-feira, 22 de maio de 2018

LECTIO DIVINA: TERÇA-FEIRA DA SEMANA VII DO TEMPO COMUM

Tiago 4, 1-10 
De onde vêm as guerras? De onde procedem os conflitos entre vós? Não é precisamente das paixões que lutam em vossos membros? Cobiçais e nada conseguis: então assassinais. Sois invejosos e não podeis obter nada: então entrais em conflitos e guerras. Nada tendes, porque nada pedis. Pedis e não recebeis, porque pedis mal, pois o que pedis é para satisfazer as vossas paixões. Oh criaturas infiéis! Não sabeis que a amizade pelo mundo é inimizade para com Deus? Quem quer ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus. Ou pensais que é em vão que a Escritura diz: «Deus reclama para Si o Espírito que fez habitar em nós»? Mas Ele concede uma graça maior e por isso a Escritura diz também: «Deus resiste aos soberbos e dá a sua graça aos humildes». Portanto, submetei-vos a Deus; resisti ao diabo e ele fugirá de vós. Aproximai-vos de Deus e Ele Se aproximará de vós. Lavai as vossas mãos, pecadores; purificai os vossos corações, almas indecisas. Reconhecei a vossa miséria, cobri-vos de luto e chorai. Converta-se em pranto o vosso riso e em tristeza a vossa alegria. Humilhai-vos diante do Senhor e Ele vos exaltará.

Vicente de Paulo, carta 0036: A Luisa de Marillac

[Para 1629]
Se não fosse tão tarde como ele é, ele iria ver esta noite para ouvir de você a pessoa que fala a mim; Será amanhã, com a ajuda de Deus. Honra, no entanto, as penalidades que a Santíssima Virgem foi ver seu filho sofrer, e adicionar a essa honra a aceitação do Pai eterno na contemplação dos sofrimentos de seu Filho único; e espero que você vai ver e aprender tem de agradecer a Sua Majestade divina para homenageá-lo com unir seus sofrimentos a Ele, e como a carne eo sangue longe da perfeição do verdadeiro amor que o Pai eterna e a santa Virgem teve seu Filho. Pense sobre isso, minha querida filha, e console-se.

Desejo-lhe bom dia e seja muito corajoso e acredite em mim, no amor de Nosso Senhor.

Clichy: o prazer no exercicio Pastoral

Até agora não temos visto a Vicente de Paulo no exercício do seu ministério sacerdotal ao serviço do povo. Agora em 1612, e por mediação de Berulle, chega como Pároco de Clichy, um povo pequeno, vizinho de Paris e de uns seiscentos fieis. E Vicente abre sobre eles a sua enorme capacidade de contágio e de renovação cristã. Evangeliza em tudo o tempo, cuida a catequese, melhora os edifícios paroquiais, visita assiduamente aos enfermos, entrega-se aos pobres e busca recursos para os ajudar, celebra funda e belamente os mistérios sacramentais. Além disso, é especialmente amigo dos jovens da paroquia e, entre eles, organiza e anima um grupo juvenil com sinais de vocação sacerdotal. Um destes jovens chamava-se António Portail. Chegaria a ordenar-se de sacerdote e ser companheiro de Vicente até a velhice de ambos os dois. Um dia o Cardeal de paris perguntou-lhe como se sentia Clichy. Estou tão contente, Senhor, -respondeu-lhe – que nem sou capaz de o explicar. Tenho um povo tão bom que me parece que nem o Santo Padre, nem Você, são tão felizes como eu”. E nos últimos anos da sua vida ainda lembrava aos seus companheiros de Congregação, a sua felicidade naquele povo. Também os habitantes de Clichy lembra riam-no toda a sua vida. Com este sorvo de gozo pastoral, Vicente ia descobrindo, urgido pelas necessidades do povo, as suas melhores capacidades para criar respostas obedientes.

Fonte: http://misionesvicentinas.blogspot.com.br

O mistério da Santíssima Trindade




O mistério da Santíssima Trindade
O que é o mistério da Santíssima Trindade?
Segundo o Catecismo da Igreja Católica “o mistério da Santíssima Trindade é […] a fonte de todos os outros mistérios da fé, é a luz que os ilumina. É o ensinamento mais fundamental e essencial na ‘hierarquia das verdades de fé’. ‘Toda a história da salvação não é senão a história da via e dos meios, pelos quais o Deus verdadeiro e Único, Pai, Filho e Espírito Santo, se revela, reconcilia consigo e une a si os homens que se afastam do pecado’.” (234).
Santíssima Trindade/ franciscanos.org
Mas o que é a Trindade?
A Trindade é Una, cremos em um só Deus em três pessoas distintas. Deus é Um, uma

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Vicente de Paulo, Carta 0035: A Luisa de Marillac

[Para 1629]
... o segredo do seu coração, que eu realmente desejo tudo de Nosso Senhor, e eu rezo para a Santíssima Virgem para levá-lo para levá-lo para o céu e colocá-lo em seu e seu filho amado. Mas não pense que tudo está perdido por causa daquelas pequenas rebeliões que você sente por dentro. Às vezes chove com intensidade e troveja terrivelmente; É o melhor momento para isso? Embora as lágrimas de tristeza inundem seu coração e os demônios trovejem e façam chuvas de granizo caírem como bem entenderem, tenha certeza, minha querida filha, que não é a menos amada de Nosso Senhor. Viva, então, contente em seu amor e tenha certeza de que me lembrarei de você amanhã no sacrifício que indignamente apresentarei ao soberano sacrificial. Se eu não estivesse com tanta pressa ...

AJUDA DE COMPANHEIROS NÃO DOMESTICADOS

Temos que relacionar-nos como todos e aprender de todos. Mas uma das decisões mais inteligentes da vida consiste em resolver quem são os meus amigos, com quem juntar-me, a quem lhe falo dos meus problemas confidências. Vicente também foi inteligente nisto. Começou a buscar ajuda nas pessoas não vendidas ao cabritismo nem domesticadas na corrupção. Gente com ideias e horizontes. Pessoas que ainda nas limitações lutam corajosamente por levar uma vida autentica e por entregar-se a Jesus Cristo. Os “amigos” capazes de levar-nos na insensatez e preguiça são inumeráveis. Os amigos dispostos a levar-nos à superação, ao sacrifício e a entrega, são poucos. É necessário buscar-lhos. Vicente fez com cuidado. Assim apareceu na sua vida o espiritual Pedro Berulle, preocupado pela renovação da vida dos sacerdotes; o Pe. Duval, Doutor da Sorbona , homem sábio simples e apostólico e que foi confessor de Vicente por muitos anos; são Francisco de Sales , a quem Vicente chegou a admirar de coração e de quem recebeu profundas e amplas influências. Estes companheiros lhe animaram a tomar outra das decisões importantes da sua vida: a ler, mas não qualquer coisa, mas aquelas obras e livros que são capazes de nos entusiasmar para o melhor, de alimentar a nossa fé e de nos animar no compromisso com os demais. De facto, há nas conferências que nos tem chegado de São Vicente não poucas influências de suas leituras. Vicente, tinha um dom especial para aproveitar o melhor que os demais lhe poderiam oferecer e um espírito aberto para escutar e aprender, e para num momento determinado, deixar aquilo, ainda dos melhores amigos, que não lhe servisse para os eu projecto actual de servir aos pobres e de o ler tudo desde as suas necessidades e feridas.

Fonte: http://misionesvicentinas.blogspot.com.br

Anjos, criaturas de Deus


Anjos, criaturas de Deus
Anjos são seres divinos criados por Deus
“A existência dos seres espirituais, não corporais, que a Sagrada Escritura chama habitualmente de anjos é uma verdade de fé. O testemunho da Escritura a respeito é tão claro quanto a unanimidade da Tradição.” (CIC 328).
Crédito: mbertoleporini / by Getty Images
Cristo é o centro do mundo angélico. Os anjos pertencem a Cristo, porque são criados por Ele e para Ele, conforme nos ensina o Catecismo da Igreja Católica (cf. CIC 331): “Pois foi nele que foram criadas todas as coisas, nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis: Tronos, Dominações, Principados, Potestades; tudo foi criado por Ele e para Ele” (Cl 1,16).
“Ainda aqui na terra, a vida cristã participa na fé da sociedade bem-aventurada dos anjos e dos homens, unidos em Deus” (CIC 336).
Reze ao seu Anjo da Guarda
Santo Anjo da Guarda, meu poderoso protetor,
guardai-me sempre na paz de vosso amor.
Dos perigos, livrai-me;
do mal, libertai-me;
e nos momentos de angústia, consolai-me!
Durante o sono, velai sobre meu descanso,
não deixais o mal de mim se aproximar.
Sob as asas do seu amor,
possa nos meus sonhos habitar!
Nesta noite de luz, afugentai as trevas do medo,
afastai também as tentações,
para que minha alma tranquila
descanse sem aflições.
E que no alvorecer de um novo dia,
eu acorde feliz e restaurado,
e seja para o mundo
testemunha de ser sempre por vós amado!
Amém.
Fonte: Canção Nova


Elevados pela Bondade de Deus, Humilhados pela condição humana.

Elevados pela Bondade de Deus

Humilhados pela condição humana
O homem, enquanto imagem e semelhança de Deus é bom, mas ao mesmo tempo tem sua existência marcada por limitações. Desde que nascemos somos dependentes, precisamos dos nossos pais, precisamos de pessoas que nos ensinem. Depender pode ser uma condição humilhante quando não se tem consciência de que estas pequenas realidades são apenas fagulhas que nos apontam para nossa real dependência. Nós dependemos de Deus.

A condição humana nos humilha quando o forte impulso de filhos de Adão que somos grita em nós. A condição humana nos humilha quando tentamos fazer o que é bom, mas mesmo diante de todos os esforços acabamos por fazer o que é mau. A condição humana nos humilha quando nossas misérias são esfregadas em nossa ‘cara’. Quando vemos do que realmente somos capazes.

"RELEMBRAR É VIVER"

 Hoje o Blog Vicentinos do Asfalto vai relembrar alguns momentos da Juventude Mariana Vicentina.
 E para começarmos vamos relembrar o grande Encontrão da JMV que aconteceu em 2007 no Centro Diocesano em Ponta Negra -Natal- RN-Brasil.
"RELEMBRAR É VIVER"

Momento de Oração

O momento mais especial do Encontrão, testemunho do grande, eterno e saudoso Nonô
Olha que galera animada!
Momento diversão!
Hora de repor as energias!

O momento mais triste a hora da despedida!
Momentos únicos e aguardem o próximo "RELEMBRAR É VIVER"

quinta-feira, 17 de maio de 2018

AS SEMENTES DA PRIMAVERA


Há gente que perante os fracassos ampara-se nas desculpas e em culpar aos demais. Se fracasso nos estudos a culpa é dos professores, da escola, da sociedade. Se tenho lutas na família e escuras relações, a culpa é dos demais. Se os outros sofrem fome, pobreza e desamor, a culpa é deles, mas de nenhuma forma é minha.
Há gente e podemos ser nós mesmos que não decifra os signos da vida, só os sofre sem os aproveitar. Ou, em lugar de tomar a vida nas mãos refugiam-se em um grupo de amigos de má vida para não tomar as próprias decisões. Vicente não de esta classe de pessoas. Soube escutar no meio do sem fim de fracassos uma voz que o chamava a entregar-se. E deu um passo ao frente, um passo definitivo. O seu primeiro biografo contou-nos esta decisão de Vicente perante à tentação da fé: “Para honrar Jesus Cristo, tomou a firme e inviolável resolução de entregar toda a sua vida, pelo Seu amor, ao serviço dos pobres”. A partir de esse momento o seu coração começou a experimentar o que é isso da liberdade e as verdades da fé trocaram-se em segurança e claridade. Ao serviço dos pobres por amor a Jesus Cristo! Quando a fé põe-se em prática, as suas verdades brilham, quando não se vive escurecem-se. Mas eis aqui as duas sementes fecundas da primavera da fé de Vicente. Jesus Cristo e os pobres. Os pobres em Jesus Cristo e ele neles.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

O FRACASSO É UM ANJO SEM DUPLA FACE

A amorosa Providência de Deus teve de empregar-se a fundo a fim de que Vicente descera do seu próprio projecto egoísta e compreendera a sua vida de outra maneira e com outro propósito. E para isso deixo-o ir de fracasso em fracasso. Vicente carregou-se de dividas e nada conseguiu. Nem Roma, nem Marsella, nem Paris responderam aos seus pedidos. E há uma carta sua de 1607, em que conta-nos o pior. Foi feito prisioneiro por uns piratas e levado preso a Tunes. Esta escravidão é imagem e símbolo da sua situação interior. Ali soube o que significa ser escravo, maltratado, dependente e pobre. Mas ali também experimentou a verdade, a força e consolação da fé cristã. E ajudado por um renegado arrependido, conseguiu sair da escravatura de Tunes.
“Não podemos segurar melhor a nossa salvação que vivendo e morrendo ao serviço dos pobres” (São Vicente de Paulo)
O fracasso é um anjo sem caretas. Fala-nos uma linguagem directa, não mascarado, palavras que doem. Mas nem sem o compreendemos à primeira. De Facto Vicente vota a Roma. Ali encontramo-lo em 1608, e ainda espera que os grandes lhe dêem migalhas e o amparem com as suas influências. Também não o consegue. Depois vaia Paris, e desde ali ainda escreve à sua mãe em 1610 falando-lhe de um “honesto retiro”, ou dito de outra forma, da sua instalação na mediocridade. Ainda precisa de mais provas, de mais fracassos para acordar. E as próximas experiências tocar-lho-ão no mais vivo. Primeiro, será falsa e publicamente acusado de ladrão e, em segundo lugar passará um calvário de tentações contra a fé. Se antes foi despojado do triunfo externo, agora o será do prestigio social e da segurança da fé que nos sustêm. Mas Vicente nestes anos ainda não em sido um desonesto. A oração, o amor ao Senhor e à Santíssima Virgem Maria, lhe sustinham e lhe faziam cantar no meio da escravidão de Tunes. Em Roma, ao percorrer os passos dos antigos mártires cristãos, se lhe enternecia o seu coração o arrependimento lhe aflorava nos olhos em forma de lágrimas. Em Paris como mendigo da ex-rainha Margarida, experimentou a compaixão cristã com os pobres, essa que consiste em padecer com eles e ajudar-lhos. Vicente nunca foi um homem superficial. Agora perante a acusação de roubo, não se defendeu, “diz-se, elevando-se a Deus, é preciso o sofra com paciência, Deus sabe a verdade”. Vicente tinha no meio de tudo, coragem cristão. Só que precisava descobrir através dos fracassos, às distintas alturas era chamado.
E lhe chegou a prova mais longa e dura: a noite da fé. Duvidar, duvidar e duvidar, como uma obsessão, como um pesadelo, como um esfomeado rato metido no cérebro e não parara de nos morder as neuronas da fé. Quem sou? Em que se fundamenta a minha fé? Quê sentido tem Jesus Cristo para mim? Deus, ama-me, espera-me há vida eterna? E Vicente reagiu perante esta terrível tentação com mais oração e mais súplicas, com actos de penitência e obras de caridade e chegou a cozer-se o credo sobre a roupa para que o só gesto de o tocar com a mão fosse para ele como uma vivia confissão de fé. Mas era isto, tudo o que Deus esperava dele? A fé não é uma propriedade privada, dá-se-nos para a compartir, como pão e como Evangelho, como Justiça e como vida em favor dos outros. Vicente, atrever-te-ás a dar este passo?



segunda-feira, 14 de maio de 2018

ELE TAMBÉM NÃO NASCEU SANTO

Ninguém nasce santo. Ninguém nasce seguidor de Jesus Cristo. Ninguém nasce com um belo projecto debaixo do braço. Depois ao longo da vida, uns pegam-no e outros deixam-no. Uns dizem SIM, e outros perdem tempo à sombra dos seus pretextos.

Vicente de Paulo nasceu em Abril de 1581. O Seu Pai chamava-se João e a sua mãe Bertranda. Eram em total seis irmãos. Cultivavam o campo e pastoreavam o gado. Não experimentaram a miséria extrema. Mas sim a dura pobreza e pesados trabalhos. Vicente teve a sorte de poder estudar. Na França do seu tempo a maioria da gente não sabia ler nem escrever. Vicente era um adolescente solidário, reflexivo e inteligente. Mas rapidamente em quanto estudava em Dax. Teve de ajudar a outros alunos menores dando aulas para ajudar economicamente com os seus próprios estudos.
Desde estes primeiros anos será activo trabalhador e formador de pessoas, e assim será ao longo de toda a sua vida.
João o seu pai era um pouco coxo e com aspecto de camponês desarranjado. Vicente, ainda adolescente se envergonhou várias vezes do seu pai, quando este ia visitá-lo ao Liceu. Dizia-mos que ninguém nasce santo. E perante a “o quê dirão os de mais”, Vicente deixou-se levar pelos seus complexos e pela sua ingratidão. Mais tarde arrepender-se-á e curar-se-á dos vírus desta enfermidade.
Mais tarde, depois dos seus estudos na Universidade de Toulouse, e quando ainda era muito jovem para o fazer, Vicente se ordenou de sacerdote. Era o ano de 1600. Mas a ordenação também não faz santo a ninguém e menos ainda se a receber de qualquer maneira. E Vicente nestes anos, pensava mais em si mesmo que em evangelizar aos pobres. Não nasceu santo e ainda não o era. Ele tinha um projecto centrado em si mesmo. Como a sua família era pobre, desejava melhorar a situação dos seus. E queria para si uma vida tranquila e em segurança. Para conseguir este o seu projecto, não o projecto que Deus tinha para ele, gastou vários anos da sua vida. Dedicou-se corajosamente, pondo em prática a sua imaginação, as suas influencias e todas as suas capacidades.
Ainda nesta etapa egocêntrica Vicente é um jovem interessante, pois um homem com um projecto para a sua vida causa paixão e curiosidade. Não é passivo, nem se encosta nos outros, não é um parasita, nem um desinteressado. Vá, vem, luta, viaja, inverte tudo o que possui e que pede emprestado. Roma, Burdeus, Marsella, Paris... longas viagens nos carros da época e em apertadas barcas com o objectivo de conseguir um posto que lhe desse benefícios económicos e prestigio social. Desejava ser alguém numa sociedade que só sabe valorar a quem tem e não a quem é. Nestes caminhos anda Vicente estes anos da sua vida por volta do seu ego. Mas o Senhor é paciente, espera para nos fazer bem e para nos fazer bons. E espera uma resposta corajosa e generosa. Vicente lhe respondera? E nós?

Vicente de Paulo, Carta 0035: Para Luisa de Marillac

[Para 1629]
... o segredo do seu coração, que eu realmente desejo tudo de Nosso Senhor, e eu rezo para a Santíssima Virgem para levá-lo para levá-lo para o céu e colocá-lo em seu e seu filho amado. Mas não pense que tudo está perdido por causa daquelas pequenas rebeliões que você sente por dentro. Às vezes chove com intensidade e troveja terrivelmente; É o melhor momento para isso? Embora as lágrimas de tristeza inundem seu coração e os demônios trovejem e façam chuvas de granizo caírem como bem entenderem, tenha certeza, minha querida filha, que não é a menos amada de Nosso Senhor. Viva, então, contente em seu amor e tenha certeza de que me lembrarei de você amanhã no sacrifício que indignamente apresentarei ao soberano sacrificial. Se eu não estivesse com tanta pressa ...

Fonte: http://vincentians.com

sexta-feira, 11 de maio de 2018

«Não sei quem é mais carente: se o pobre que pede pão ou o rico que pede amor»

Combatendo a decepção

Combatendo a decepção

Quando ela faz morada no coração tende a nos roubar o entusiasmo
Resultado de imagem para imagens de decepçao


Quem nunca se desencantou com alguém em quem acreditava?
Enfrentamos inúmeras situações em nossa história que, com ou sem a nossa autorização, acabam nos remetendo a este terrível sentimento: a decepção.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

COMO INICIAR UM GRUPO DE JMV

Por, Cleber Teodosio
Estudante CM 
Assessor da JMV


1.O que é a JMV?
A Juventude Mariana Vicentina – JMV é uma Associação de jovens, da Igreja Católica, com espiritualidade Mariana e carisma Vicentino, orientados para o serviço concreto aos jovens e aos mais pobres. Está presente em 66 países com mais de 100.000 membros.

2.Qual a origem da JMV?
A JMV se origina de um pedido que a Santíssima Vigem fez a então noviça Catarina Labouré na primeira aparição ocorrida na capela da Casa Mae das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo em paris França, em 18 de julho de 1830, dizendo: “Desejo que seja fundada uma Associação de Jovens, sobre a qual derramarei abundantes graças”, nascendo então a associação com o nome filhas de Maria.

Vicente de Paulo, Carta 0034: Para Luisa de Marillac

[Para 1629]
Louvo a Deus, sinto falta de vê-la tão resignada com a santa vontade de Deus, e rezo para que você e eu tenhamos sempre o mesmo desejo e não queremos com Ele e Nele, que já é um paraíso antecipado. Agradeço também pelo seu bom remédio e prometo usá-lo amanhã, se Deus quiser e com grande prazer; e peço-lhe em nome de Deus, tome muito cuidado e não omita nada que seja necessário para isso. Para o resto, fique calmo no seu interior, que não deixa de estar na situação que é necessária, embora não pareça assim.

Adeus, minha querida filha. Eu estou no seu amor e no da sua santa Mãe, sua, etc.

Aprenda a valorizar o seu tempo verdadeiramente com boas atitudes


Qual a  sua percepção diante do tempo?
Como vai a organização do sue tempo? A sociedade contemporânea nos “pede” que realizemos as atividades do dia a dia de modo ágil. Muitas vezes, paro para observar e encontro pessoas dizendo que o fim de semana passou muito rápido, então, pergunto-me se isso é realidade. Para obter essa resposta, seria interessante responder as seguintes questões:
O que faz em seus dias de folga?
Procura realizar o que é essencial ou o que pensa ser necessário? Um ponto importante para ser analisado é onde está gastando a maior parte de seu tempo. Será conseguir bens materiais? Na faculdade? No trabalho?
Aprenda a valorizar o seu tempo verdadeiramente com boas atitudes
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com
Com essa agitação, muitas vezes, não conseguimos sequer olhar para as pessoas que convivem em nossa casa conosco, sem saber como elas estão, se passam por alguma

Permanecer ou desaparecer?

 


Alan Ribeiro Fernandes

“O mundo passa com suas concupiscências, mas quem cumpre a vontade de Deus permanece para sempre” I Jo. 2, 17. E a grande pergunta é: “O que estamos desejando permanecer ou desaparecer?”.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Os tesouros da Igreja


Feliz de quem junta tesouros no Céu!


Imagem relacionada

Há mentiras que, de tão repetidas, acabam passando por verdades. É o caso dos famosos “tesouros da Igreja”. Onde estariam? Quais seriam? Quanto valeriam?
Era véspera de Carnaval. Os carnavalescos de uma escola de samba do Rio de Janeiro

10 dicas para presentear sua mãe


Respeite sua mãe para que seus dias sejam de paz e alegria



Com a chegada do Dia das Mães, surgem várias possibilidades para presenteá-las, mas não podemos nos esquecer do essencial.
Créditos: Wesley Almeida / cancaonova.com
1 – Dê-lhe um abraço: Os encontros diários podem se tornar rotineiros e superficiais. Há quanto tempo você não abraça sua mãe? Um abraço carinhoso é mais valioso que o ouro e os presentes caros.

2 – Seja mais educado: Gritos não resolvem conflitos. Respeite sua mãe para que seus dias

No mundo atual ainda se reza


No mundo atual ainda se reza?
A oração não é mais atividade necessária


Resultado de imagem para imagens de falta de oraçaoAs preocupações do homem moderno parece que se deslocaram. Seu comportamento é de quem assumiu com as próprias mãos o destino de seus dias. Os humanos não contam mais com auxílio externo para ter sucesso nos seus negócios. Os seus planos, a sua inteligência,

terça-feira, 8 de maio de 2018

Encontro Regional Recife da JMV


Nova Coordenação do Regional recife
Encontro Regional Recife da JMV, que pertence à província Recife, foi realizado nos dias 05 e 06 de maio de 2018 na Vila da Medalha milagrosa, Socorro, Jaboatão dos Guararapes - PE, local onde moram as irmãs da caridade. Dia 06 houve a assembleia regional, onde foi eleito o novo conselho para o  biênio 2018-2020. Após a eleição com toda assembleia se deu o resultado.

Matheus Lourenço - Presidente 

Bárbara Nascimento - Vice-presidente

Maria Manoela - Secretária

Amanda Maciel - Vice-Secretária

Felipe Manoel - Tesoureiro

Danieli Costa - Vice tesoureira 

Vogal - Bruno Lima

Hoje o Regional Recife é composto por 06 grupos de base. JMV Cabo, JMV Paulista, JMV Ibura, JMV Imbiribeira , JMV Panelas, JMV São José do Bola.

A nova coordenação quer unificar cada vez mais todos os grupos e procurar reativar grupos que foram desativados, onde possam cada vez mais levar o amor ao pobre e que juntos tenham mais chances de diminuir esse cenário de desigualdade, tudo isso através do amor de Maria e com as Bênçãos de Deus.

Vicente de Paulo, Carta 0033: A Luisa de Marillac

[Para 1629]
Minha querida filha, como consolar sua carta e os pensamentos nela me consignam! Realmente, devo confessar que o sentimento se espalhou por todas as partes da minha alma, e com muito mais prazer, como isso me fez ver que você está no estado que Deus lhe pede. Coragem, continue, minha querida filha, permanecendo nessa boa disposição e deixe Deus trabalhar. Mas meu consolo diminuiu quando conheço o estado de doença em que ele se encontra e que ele havia anteriormente escondido de mim. Bendito seja nosso Senhor por tudo! Cuide bem da sua saúde pelo seu amor e perdoe-me por ter mantido o seu mensageiro por tanto tempo, por ter estado ocupado em muitas visitas. Para o resto, ainda sou melhor, graças a Deus. Ainda tenho uma pequena sensação de febre; mas está diminuindo

Adeus, minha filha, Deus te dê boa noite!

Filhas da Caridade

"As Filhas da Caridade reconhecem que são chamadas por Deus.

Tanto em sua vida de oração quanto em sua vida de serviço,

elas contemplam Jesus Cristo, fonte e modelo de toda caridade,

para serem testemunhas de seu amor entre os Pobres.

Em sua vida de fé, as Filhas da Caridade dão um grande espaço à oração, alimentada pela vida litúrgica e sacramental, pelo silêncio, pela escuta da Palavra de Deus e sua mensagem, pelo ensinamento da Igreja e pela herança vicentina. Os Pobres estão presentes em sua oração; elas rezam por eles e em seu nome.

TERÇA-FEIRA DA SEMANA VI DO TEMPO PASCAL

Atos dos Apóstolos 16, 22-34
Naqueles dias, a multidão amotinou-se contra eles; e os estrategos, arrancando-lhes as vestes, mandaram-nos açoitar. Depois de lhes terem dado muitas vergastadas, lançaram-nos na prisão, recomendando ao carcereiro que os tivesse sob atenta vigilância. Ao receber tal ordem, este meteu-os no calabouço interior e prendeu-lhes os pés no cepo. Cerca da meia-noite, Paulo e Silas, em oração, entoavam louvores a Deus, e os presos escutavam-nos. De repente, sentiu-se um violento tremor de terra que abalou os alicerces da prisão. Todas as portas se abriram e as cadeias de todos se desprenderam. Acordando em sobressalto, o carcereiro viu as portas da prisão abertas e puxou da espada para se matar, pensando que os presos se tinham evadido. Paulo, então, bradou com voz forte: «Não faças nenhum mal a ti mesmo, porque nós estamos todos aqui.»

SERENIDADE E CORAGEM!

Tende coragem! Eu venci o mundo


Quando Jesus se despediu dos Apóstolos, no final da Última Ceia, já caminhando para a Paixão, fez entrar em seus corações uma lufada de confiança: "Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Permanecei no meu amor [...]. Eu vos disse isso para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa" (Jo 15,9.11).

Ao mesmo tempo, mostrou-lhes que a alegria cristã não é o regozijo ruidoso e oco do mundo, que se acende como um palito de fósforo e se apaga logo depois. Um filho de Deus sabe manter-se sereno e feliz, mesmo em meio às mais duras contradições.

REFLEXÃO DO DIA: O FERREIRO


Era uma vez um ferreiro que, após uma juventude cheia de excessos, resolveu entregar sua alma a Deus. Durante muitos anos trabalhou com afinidade, praticou a caridade, mas, apesar de toda sua dedicação, nada parecia dar certo na sua vida. Muito pelo contrário: seus problemas e
dívidas acumulavam-se cada vez mais.
Uma bela tarde, um amigo que o visitara -- e que se compadecia de sua situação difícil -- comentou: "É realmente estranho que, justamente depois que você resolveu se tornar um homem temente a Deus, sua vida começou a piorar. Eu não desejo enfraquecer sua fé, mas apesar de toda a sua crença no mundo espiritual, nada tem melhorado .
O ferreiro não respondeu imediatamente. Ele já havia pensado nisso muitas vezes, sem entender o que acontecia em sua vida.

Entretanto, como não queria deixar o amigo sem resposta, começou a falar e terminou encontrando a explicação que procurava. Eis o que disse o ferreiro: Eu recebo nesta oficina o aço ainda não trabalhado e preciso transformá-lo em espadas. Você sabe como isto é feito? Primeiro eu
aqueço a chapa de aço num calor infernal, até que fique vermelha. Em seguida, sem qualquer piedade, eu pego o martelo mais pesado e aplico golpes até que a peça adquira a forma desejada. Logo, ela é mergulhada num balde de água fria e a oficina inteira se enche com o barulho do
vapor, enquanto a peça estala e grita por causa da súbita mudança de temperatura. Tenho que repetir esse processo até conseguir a espada perfeita: uma vez apenas não é suficiente .

O ferreiro deu uma longa pausa, acendeu um cigarro e continuou: As vezes, o aço que chega até minhas mãos não consegue agüentar esse tratamento. O calor, as marteladas e a água fria terminam por enchê-lo de rachaduras. E eu sei que jamais se transformará numa boa lâmina de
espada. Então, eu simplesmente o coloco no monte de ferro-velho que você viu na entrada de minha ferraria.

Mais uma pausa e o ferreiro concluiu: Sei que Deus está me colocando no fogo das aflições. Tenho aceito as marteladas que a vida me dá, e às vezes sinto-me tão frio e insensível como a água que faz sofrer o aço.
Mas a única coisa que peço é: "Meu Deus, não desista, até que eu consiga tomar a forma que o Senhor espera de mim. Tente da maneira que achar melhor, pelo tempo que quiser -- mas jamais me coloque no monte de ferro-velho das almas" .

Vida Cristã: Como o cristão deve dar esmola?


Vida Cristã: Como o cristão deve dar esmola?

\Quando ouvimos esta palavra ESMOLA vem logo a nossa cabeça algumas moedas ou um trocadinho que tiramos do bolso para dar a um pedinte na porta de casa, no farol de transito ou nas calçadas de nossa cidade. Quase sempre é algo que nos sobra ou um restinho do que a gente tem, mas esmola,CARIDADE é muito mais do que isso. É dar

O perdão é o remédio que traz alívio para a alma


O perdão é um remédio. Na hora, pode ser amargo, mas faz bem, alivia o mal-estar interior
O perdão é uma graça que Deus nos dá para prosseguirmos no caminho após um ferimento profundo. O perdão age como uma cauterização, curando de dentro para fora. Sim, a cicatriz permanece, pois as lembranças são a garantia de que temos uma história. E a palavra “cura” aplica-se perfeitamente neste caso, visto que, por algum motivo, houve uma ferida, e o perdão sobre essa ferida evita, metaforicamente, infecção e até necrose.
Créditos: PeopleImages by Getty Images
A falta de perdão pode virar uma doença real e levar à morte, se não a física, à morte espiritual, psíquica e moral. A falta de perdão mata sonhos, projetos, perspectivas etc. Além disso, muitas são as doenças psicossomáticas causadas pela falta de perdão: depressão,