quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Será que sofro de síndrome da dispersão?


A síndrome da dispersão pode matar a nossa saudável distração

Quando entrei para o seminário, em 1976, havia lá um formador que havia passado um tempo de estudos na Europa e voltara cheio de ideias. Uma de suas criatividades era um curioso “”catálogo de problemas pessoais””. Éramos todos garotos de sexta até oitava série. Tínhamos entre 13 e 15 anos de idade. Entrávamos na adolescência longe da família e precisávamos de um rumo. Ele inventou o tal “catálogo” com mais ou menos 300 problemas que um “quase-jovem” poderia enfrentar. A orientação era a seguinte: “Se for um probleminha, tome um lápis e marque um X; se for um problema maior, coloque um círculo em torno do X. Se o problema for enorme coloque dois círculos. Quando for conversar com seu orientador, leve junto o seu caderno. Aos poucos você vai resolver seus problemas e poderá ir apagando os círculos até resolver todos os problemas completamente e apagar até mesmo o X”.
1600x1200-Sindrome-da-dispersao
1600x1200-Sindrome-da-dispersao
Foto: Wesley Almeida / cancaonova.com
Tenho esse caderno até hoje, apesar de entender os evidentes limites da metodologia. Esses dias, estive revirando velhos arquivos e dei de cara com a lista de problemas. Lá estava o meu maior problema daquele tempo, que até hoje permanece com dois círculos: “Ser disperso, distraído”. Lembro o quanto lutei contra essa tendência inata de estar sempre muito concentrado…, mas não exatamente naquilo que era oportuno na hora. É só entrar na capela e começar a rezar que tenho ideias e mais ideias. No volante, às vezes, tenho de parar o carro para anotar a letra ou a melodia de alguma canção. Tive de estudar Filosofia para entender que esse aparente “defeito de fabricação”, na verdade, era uma grande qualidade se administrada do jeito certo. O pensador é alguém que consegue se distrair e se maravilhar com as coisas aparentemente mais irrelevantes. Quando começo a fazer uma pesquisa, preciso me distrair com o objeto pesquisado, isto é, preciso do êxtase de quem se distrai.

Como ser um católico bem formado?


Não há dúvida de que a maior necessidade do povo católico é a formação na doutrina

O autor da Carta aos Hebreus escreveu: “”Ora, quem se alimenta de leite não é capaz de compreender uma doutrina profunda, porque é ainda criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que a experiência já exercitou na distinção do bem e do mal”” (Hb 5,13-14). Sem esse “alimento sólido”, que a Igreja chama de “fidei depositum” (o depósito da fé), ninguém poderá ser verdadeiramente católico e autêntico seguidor de Jesus Cristo.
Não há dúvida de que a maior necessidade do povo católico hoje é a formação na doutrina. Por não a conhecer bem, esse mesmo povo, muitas vezes, vive sua espiritualidade, mas acaba procedendo como não católico, aceitando e vivendo, por vezes, de maneira diferente do que a Igreja ensina, especialmente na moral. E o pior de tudo é que se deixa enganar pelas seitas, igrejinhas e superstições.
1600x1200-doutrina

Foto: Arquivo CN
Em sua viagem à África, que começou em 17 de maio de 2009, o Papa Bento XVI deixou claro que a formação é o antídoto para as seitas e para o relativismo religioso e moral. Em Yaoundé, em Camarões, o Sumo Pontífice disse que “a expansão das seitas e a difusão do relativismo –– ideologia segundo a qual não há verdades absolutas – tem um mesmo antídoto, segundo Bento XVI: a formação”. Afirmando que: «O desenvolvimento das seitas e movimentos esotéricos, assim como a crescente influência de uma religiosidade supersticiosa e do relativismo, são um convite importante a dar um renovado impulso à formação de jovens e adultos, especialmente no âmbito universitário e intelectual». O Santo Padre pediu «encarecidamente» aos bispos que perseverem em seus esforços por oferecer aos leigos «uma sólida formação cristã, que lhes permita desenvolver plenamente seu papel de animação cristã da ordem temporal (política, cultural, econômica, social), que é compromisso característico da vocação secular do laicado».

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Os sinais devem nos mostrar o quanto Deus nos ama


Os sinais devem nos mostrar o quanto Deus nos ama

Deus é, em primeiro lugar, “a fonte e a origem de todas as bênçãos”, assim escutamos do sacerdote como uma das opções de bênçãos no fim da Missa. É de Deus que provém a bênção. Ele, em Sua grandeza e bondade, olha para o ser humano com misericórdia e derrama sobre ele as Suas bênçãos. 
Nós somos alvos da bênção de Deus. Em nossa catequese familiar ou de Igreja, aprendemos a pedir a bênção para o pai, para a mãe, o avô, a avó e até para os padrinhos e tios. 
1600x1200-os-sinais-nos-mostram-o-quanto-deus-nos-ama

Muitos têm o costume de pedir ao sacerdote que lhes dê a bênção, e é muito comum também as pessoas pedirem para que seus objetos sejam abençoados. Os objetos litúrgicos, móveis, a própria igreja ou capela são abençoados, porque ali são realizados atos litúrgicos, com os quais vivenciamos melhor os sacramentos. Assim, temos um encontro com o Senhor. Os objetos, as imagens, as medalhas são sinais que nos ajudam na caminhada com Deus. Ao pedirmos a bênção sobre esse ou aquele item, não devemos fazê-lo de maneira supersticiosa, como se fosse um amuleto.

Férias com Deus e não sem Ele

Nossas férias facilmente se tornam o momento ou o período em que nós também damos férias a Deus?

Mesmo não querendo desenvolver uma teologia de férias ou de descanso, propomo-nos olhar a Palavra de Deus com esse tema em mente. Ao fazer isso, deparamo-nos com alguns fatos que deveriam nos conduzir a uma reflexão pessoal de como encaramos esse período de descanso e como esse tempo é vivido para a glória do Criador.
Nas primeiras páginas da Bíblia, vemos um fato que não pode passar despercebido para quem pensa nesse assunto. Vemos ali como Deus nos apresenta, pelo exemplo, o que deveria ser nossa atitude para com o trabalho e para com o descanso: ““No sétimo dia, Deus já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou. Abençoou Deus o sétimo dia e o santificou, porque nele descansou de toda a obra que realizara na criação”” (Gn 2,2-3).
1600x1200-FERIAS-EpicStockMedia-by-Getty-Images

Foto: EpicStockMedia by Getty Images
O Altíssimo não nos dá um exemplo de alguém que busca “sombra e água fresca”, Ele trabalhou muito fazendo com que a criação toda chegasse à existência. Mesmo que não precisasse tanto como nós de descanso após um esforço intenso, o Senhor nos mostra que o descanso tem o seu lugar. E mais ainda: Ele abençoa esse dia e o santifica. Mesmo sendo muito dedicado e esforçado, mesmo que não seja preguiçoso, o Todo-poderoso também não está viciado em trabalho e proporciona a si mesmo um momento de descanso.

A depressão é uma doença, um mal a ser resolvido


A depressão é uma doença, um mal a ser resolvido

A depressão, doença tão comum em nossos dias, está envolvida por muitos mitos como acontece com várias outras doenças que envolvem o sentimento das pessoas. Aqui queremos desmistificar alguns deles (1 Cor 13,5).

Um mal a ser resolvido

Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com
depressão não é uma manifestação de caráter imperfeito ou de fraqueza humana, mas sim uma doença grave. Portanto, todos estamos sujeitos a ficarmos deprimidos. A depressão não é apenas um mau dia, não é simplesmente acordar mau humorado.
Outro mito que afasta as pessoas de procurar ajuda e as afasta mais ainda de buscar oração e orientação espiritual diz respeito à fé: “Pessoas de fé não ficam deprimidas”. Se pessoas profundamente religiosas, e até mesmo com dom de cura, são vítimas de pressão alta, resfriados, esclerose e outras tantas doenças, por que não podem ficar deprimidas, se a depressão é uma doença? Portanto, pessoas que possuem uma crença e um relacionamento íntimo com Deus também ficam deprimidas. O que ocorre com muita frequência é um esfriamento desse relacionamento com Deus, porque é próprio da depressão levar a uma dificuldade de concentração, a um sentimento de indignidade, imobilizando, dessa forma, várias áreas da nossa vida, inclusive a fé.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

LECTIO DIVINA

Aprendei de mim e encontrareis descanso (Mateus 11, 28-30)

“Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso.
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso.
Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.”

A liturgia de hoje, na festa de Santo Ambrósio, é extremamente apropriado para um período do ano em que a maioria costuma estar “beijando a lona” de esgotamento, após um ano intenso de trabalho e às vezes dificuldades.

A primeira coisa que o Senhor nos fala no Evangelho é: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso.” Este é o grande convite que Ele nos faz na oração de hoje (e de cada dia). Ir a Ele. Parece óbvio, mas não é. Muitas vezes não vamos ao Senhor em nossa oração, ficamos dando voltas em nós mesmos e no turbilhão interior que trazemos. Ir ao Senhor, com tudo o que somos e temos, com o que carregamos de nós mesmos e dos outros, com os nosso fardos. E deixar que Ele nos dê o descanso.

"O serviço dos pobres acima de tudo" - Carta raríssima de São Vicente de Paulo


Não temos de avaliar os pobres por suas roupas e aspecto, nem pelos dotes de espírito que pareçam ter. Com frequência são ignorantes e curtos de inteligência. Mas muito pelo contrário, se considerardes os pobres à luz da fé, então percebereis que estão no lugar do Filho de Deus que escolheu ser pobre. De fato, em seu sofrimento, embora quase perdesse a aparência humana - loucura para os gentios, escândalo para os judeus - apresentou-se, no entanto, como evangelizador dos pobres: Enviou-me para evangelizar os pobres (Lc 4,18). Devemos ter os mesmos sentimentos de Cristo e imitar aquilo que ele fez: ter cuidado pelos indigentes, consolá-los, auxiliá-los, dar-lhes valor. 



Com efeito, Cristo quis nascer pobre, escolheu pobres para seus discípulos, fez-se servo dos pobres e de tal forma quis participar da condição deles, que declarou ser feito ou dito a ele mesmo tudo quanto de bom ou de mau se fizesse ou dissesse aos pobres. Deus ama os pobres, também ama aqueles que os amam. Quando alguém tem um amigo, inclui na mesma estima aqueles que demonstraram amizade ou prestam obséquio ao amigo. Por isso esperamos que, graças aos pobres, sejamos amados por Deus. Visitando-os, pois, esforcemo-nos por entender os pobres e os indigentes e, compadecendo-nos deles, cheguemos ao ponto de poder dizer com o Apóstolo: Fiz-me tudo para todos (1Cor 9,22). POr este motivo, se é nossa intenção termos o coração sensível às necessidades e misérias do próximo, supliquemos a Deus que derrame em nós o sentimento de misericórdia e de compaixão, cumulando com ele nossos corações e guardando-os repletos.

Deve-se preferir o serviço dos pobres a tudo o mais e prestá-lo sem demora. Se na hora da oração for necessário dar remédios ou auxílio a algum pobre, ide tranquilos, oferecendo esta ação a Deus como se estivésseis em oração. Não vos pertubeis com angústia ou medo de estar pecando por causa do abandono da oração em favor do serviço aos pobres. Deus não é desprezado, se por causa de Deus dele nos afastarmos, quer dizer, interrompermos a obra de Deus para realizá-la de outro modo.

Portanto, ao abandonardes a oração, a fim de socorrer a algum pobre, isto  mesmo vos lembrará que o serviço é prestado a Deus. Pois a caridade é maior do que quaisquer regras que, além do mais, devem todas tender a ela. E como a caridade é uam grande dama, faz-se necessário cumprir o que ordena. Por conseguinte, prestemos com renovado ardor nosso serviço aos pobres; de modo particular aos abandonados, indo mesmo à procura, pois nos foram dados como senhores e protetores. 

-- Dos Escritos de São Vicente de Paulo

O sorriso de uma criança é a assinatura na obra do Senhor.

Sejamos como as crianças, que amam verdadeiramente, que tem o sorriso sincero e o coração puro, sejamos  como Deus quer, voltemos a ter a mesma tranquilidade e alegria de viver de uma criança, vivamos intensamente como elas fazem, gritam, riem, pulam, choram sem saber o motivo e perdoam com uma facilidade enorme. Hà se fossemos sempre tão meigos e carinhosos!Façamos da vida uma eterna festa e valorizemos a criança que existe dentro nós!
Jesus conhece o profundo do nosso coração e quer que tenhamos a alegria e pureza de uma criança e para sermos felizes  é preciso que sejamos simples e o risonhos como crianças .

"Deixai vir a mim as crianças, porque delas é o Reino dos Céus"

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

IRMÃ LÚCIA VIEIRA, FILHA DA CARIDADE, EXEMPLO DE DEDICAÇÃO !



Irmã Lúcia Vieira, chegou a Caicó em 1953, em conjunto com outras três irmãs de Caridade. Tinham como missão dar vida ao Abrigo e Dispensário Professor Pedro Gurgel, fundado a 16 de agosto de 1946 por Mons. Walfredo Gurgel, com a cooperação da Diocese, mas que até aquele momento ainda não entrara em atividade.


O grupo inicial de religiosas eram: Irmã Severina Borba, primeira superiora(1951), Irmã Maria Dutra e Irrmã Lucia (1953), Vieram em 1954 e 1956, para complementar as pioneiras, a Irmã Vicência Nogueira (1954) e a Irmã Rosalie Santos (1956). Todas, com exceção da Irmã Lúcia, já encontam-se na casa do Pai.

Como um sentimento de verdade, há uma crença no Bairro Paraíba, de Caicó, de que Irmã Lúcia nunca morrerá. Ela apenas se encantará, um dia, sob o manto de nossa Senhora das Graças e de lá continuará a olhar e encaminhar para todo o bem, os filhos e filhas deste bairro e cidade.

LECTIO DIVINA

Maranata (Mt 18,12-14)

— O que é que vocês acham que faz um homem que tem cem ovelhas, e uma delas se perde? Será que não deixa as noventa e nove pastando no monte e vai procurar a ovelha perdida? Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quando ele a encontrar, ficará muito mais contente por causa dessa ovelha do que pelas noventa e nove que não se perderam. Assim também o Pai de vocês, que está no céu, não quer que nenhum destes pequeninos se perca.

Iniciemos o dia nos colocando diante do Senhor e, iluminados pelo Espírito Santo, deixemos que as palavras do texto proposto para hoje sejam fonte que jorra para a vida eterna e satisfaçam nossa sede de plenitude.

Inicialmente, sinto uma estranheza com a fala de Jesus, pois estou acostumado com o dito popular que diz: mais vale um pássaro na mão que dois voando.
Nós fomos treinados, desde pequenos, para sermos muito cautelosos em nossas decisões, daí temos dificuldade de compreender como um pastor deixa noventa e nove ovelhas para procurar uma única que se perdeu. E se, na sua volta, algum lobo tiver atacado o rebanho de noventa e nove que ficou para trás? O pastor poderia, primeiramente, conduzir as noventa e nove ovelhas para um lugar seguro e, somente depois disso, buscar aquela que se perdeu. Porém, o que Ele faz é deixar as noventa e nove pastando por uma única que está perdida.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Teu sorriso vale muito!

Há um bem em você que muda o sentido do dia, tens valor e é único. Pode não parecer, mas sim, é teu sorriso! E ele sempre é motivos de bem estar. Mas diariamente com a correria da vida, às vezes esquecemos desse ato tão singelo e significativo para muitos. Não há hora ou lugar para ser feito, nele contém atitudes que podem mudar os sentimentos do teu próximo. Muitas vezes nos encontramos em situações difíceis, mas quando menos esperamos alguém em sua vida te faz perceber o que você não enxergaria, e através do teu sorriso isso é possível!
Já pensou o quão valioso ele é?
Pois bem, sempre tire um tempo para refletir, propagar, porque sorri cura as dores momentâneas que muitas vezes não entendemos o motivo, e a recompensa é melhor do que se imagina.
Que seu dia se alegre sempre com um sorriso e assim possa passar adiante por onde for.



Isabela Maria da Costa Rego
20 anos 
Sou coordenadora do Zonal do Alto Oeste que pertence à Diocese de Mossoró, 
Vice tesoureira da JMV Pau dos Ferros e vogal no Regional Natal.

Juma News Primeira Edição: Campanha doe um brinquedo e ganhe um sorriso

O Juma News apresenta a sua primeira edição em vídeo, que trás um pouco do que é a campanha Doe um brinquedo e ganhe um sorriso. Assista! Não Fiquem de fora! Compartilhem!!!!


O mais belo enfeite de Natal é o sorriso de uma criança! 


Campanha: "Doe um brinquedo e ganhe um sorriso!"


       Já foi dado o ponta pé inicial da campanha "DOE UM BRINQUEDO E GANHE UM SORRISO" e você não pode ficar fora desse. Essa campanha tem como objetivo arrecadar brinquedos, roupas e alimentos para serem distribuidos na Comunidade Frei Damião em Caicó - RN. 
Como ajudar? Doando brinquedo, alimento, confeitos, pipocas e ate mesmo dinheiro para ser empregado na compra desses materiais citados.
Quando sera a entrega dos brinquedos? Será que posso participar? Claro que sim, você tem o dever de participar. A  entrega acontecerá no dia 17 de Dezembro de 2016.
Então galerinha fica a dica desse Natal, "Venha ser feliz fazendo os outros felizes".

“Se tivéssemos um pouco de esse amor – de Jesus Cristo – ficaríamos com os braços cruzados? Deixaríamos morrer a todos aqueles que podemos assistir? Não, a caridade não pode permanecer ociosa, mas move-nos à salvação e ao consolo dos demais”.
São Vicente de Paulo

Sejamos os Vicentes de hoje

Bom Dia Galera!!!
Essa noite estive lendo um pouco mais sobre as obras do nosso patrono, São Vicente de Paulo, parei para pensar "O que São Vicente faria nos dias atuais?"
Você já imaginou São Vicente tendo em mãos todas as ferramentas que temos hoje?
Consegue imaginar até onde a caridade de São Vicente chegaria, se ele tivesse meios de transportes como temos?
Quantas publicações no Twitter, Facebook, Blog, renderiam as milhares de cartas escritas por Vicente? 
São várias perguntas que surgem para refletirmos ... 
Deixo aqui uma musica que nos convida a amar como Vicente, o nome dela é "Só com amor se move a vida":

Vem! Vamo-nos vestir de Vicente/ Porque lá fora, nossa gente/ Vive a incerteza do amanhã./ Vem! Vamo-nos fazer de menino/ Porque lá fora os pequeninos/ Querem um lugar ao sol./ Sonhar! Como é bom poder sonhar!/ É divino ensinar como o mestre ensinou./ Plantar, Plantar! Como é bom poder plantar/ Mil sementes de emoção, explodindo no coração.

Vem! Vamos levar fé e calor/ Muita esperança, paz e amor:/ Somos caminho e a fonte/ Vem! Vamos formar um batalhão/ E em toda nossa inspiração/ Adicionar este ideal:/ Somar, para poder dividir;/Não partir sem repartir,/ Deixando alguém feliz, feliz./ Ninguém tem tanto que nada falte;/ Nem tão pouco, que não tenha/ Um pouquinho pra doar.

Fiz essa montagem só para ilustrar um pouco de como seria o Facebook de São Vicente nos dias de hoje...
Montagem ilustrativa feita por João Elias Fernandes.
Um pouco da Sua história:
Vicente foi um grande  sacerdote, gerado numa família pobre e religiosa, ele não ficou de braços cruzados mas se deixou mover pelo espírito de amor. Como padre, trabalhou numa paróquia onde conviveu com as misérias materiais e morais; esta experiência lhe abriu para as obras da fé. Numa viagem foi preso e, com grande humildade, viveu na escravidão até converter seu patrão e conseguiu depois de dois anos sua liberdade.

A partir disso, São Vicente de Paulo iniciou a reforma do clero, obras assistenciais, luta contra o jansenismo que esfriava a fé do povo e estragava com seu rigorismo irracional. Fundou também a “Congregação da Missão” (lazaristas) e unido a Santa Luísa de Marillac, edificou as “Filhas da Caridade” (irmãs vicentinas).
Sabia muito bem tirar dos ricos para dar aos pobres, sem usar as forças dos braços, mas a força do coração. Morreu quase octogenário, a 27 de setembro de 1660, mas a sua chama continua viva nos corações  de muitos jovens e seguidores da sua obra... 

Então galera, fica aqui o convite, para nos vestirmos de Vicente, e espalhar o amor que Deus nos ensinou...

Um forte abraço! 

Não esquece de deixar o seu comentário! =P

João Elias Fernandes
Sou João, tenho 23 anos, estudante de engenharia de produção,
Jovem Mariano Vicentino. 
Caicoense, 
Moro em Campina Grande PB, onde estudo

Como superar o medo de amar?

Muita gente vive um passado sombrio na sua área afetiva. Foram feridos por amores de mentirinha, que apareceram como se verdadeiros fossem e se fecharam para a vida com medo de novas decepções. As feridas de amores mal resolvidos realmente custam a sarar, mas ninguém consegue a realização na sua afetividade enquanto não encara seu passado de dor como uma oportunidade de amadurecimento.

Ninguém está isento de sofrer quando se decide a amar alguém. Alias, custa muito amar da maneira correta. As caricaturas de amor vistas por aí até podem sobreviver por um tempo, mas só o verdadeiro amor resiste ao calor das tensões, pois entende as fragilidades da pessoa amada e, mesmo assim, não desiste do ideal de amá-la.

LECTIO DIVINA

Evangelho – Lc 5,17-26 17
cura do paralítico

Um dia Jesus estava ensinando. Em sua volta estavam sentados fariseus e doutores da Lei, vindos de todas as aldeias da Galileia, da Judeia e de Jerusalém. E a virtude do Senhor o levava a curar. 18Uns homens traziam um paralítico num leito e procuravam fazê-lo entrar para apresentá-lo. 19Mas, não achando por onde introduzi-lo, devido à multidão, subiram ao telhado e por entre as telhas o desceram com o leito no meio da assembleia diante de Jesus. 

20 Vendo-lhes a fé, ele disse: Homem, teus pecados estão perdoados. 21 Os escribas e fariseus começaram a murmurar, dizendo: Quem é este que assim blasfema? Quem pode perdoar os pecados senão Deus? 22 Conhecendo-lhes os pensamentos, Jesus respondeu, dizendo: ‘Por que murmurais em vossos corações? 23 O que é mais fácil dizer: ‘teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘levanta-te e anda’?

sábado, 3 de dezembro de 2016

Papo Jovem: Amor não se escolhe; Amor se acolhe!

Será que ainda lembramos como se transmite o amor?
Ultimamente tem se falado tanto em diversos assuntos, vários posicionamentos, mas tão pouco envolvimento de compaixão, um conforto emocional, uma palavra amiga, ou até mesmo um ato de humildade. Que tenhamos menos blá blá blá e mais ação. Que nossos olhos sejam de amor e não de julgamentos.
Diariamente, encontramos várias formas pobres não de status bancário e sim de humanidade, sem motivos que possamos ao menos usar o nosso direito de resposta. E é nessas horas que nos perguntamos: cadê o respeito? o amor? a igualdade que era para ser usada com o próximo? São vários questionamentos, mas nem um que se coloque no lugar.
Sou muito apaixonada pela banda Rosa de Saron, pois, através das suas músicas, encontro um conforto enorme, algo sem explicação e em uma das suas músicas que se chama "Se" fala justamente disso:

 "Se eu tivesse ouvidos para ouvir, Se eu tivesse boca, talvez pudesse um dia tentar proferir. Algo tão leve, leve, como um leve
Oi amor, leve-me onde possa me encontrar.".

Que não deixemos para o amanhã aquilo que podemos fazer agora! Vamos falar, ajudar, amar e entre tantas coisas boas. Vá e leve ao encontro de quem precisa o significado de uma nova oportunidade de transmitir o sentimento mais lindo que aprendemos desde dos tempos de Cristo que é o amor! E assim, podemos espalhar para o mundo, pois indo ao encontro do próximo é ainda relembrar de ser humano, de amar.

"Ame ao próximo como Deus te ama."

Isabela Maria da Costa Rego
20 anos 
Sou coordenadora do Zonal do Alto Oeste que pertence à Diocese de Mossoró, 
Vice tesoureira da JMV Pau dos Ferros e vogal no Regional Natal.






sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Construir a Santidade no cotidiano

Santidade é vocação de todos os cristãos, sem exceção. A redescoberta da Igreja, como um povo unido pela unidade do Pai, do Filho e do Espírito Santo não pode deixar de implicar um reencontro com sua santidade, entendida no seu sentido fundamental de pertença àquele que é o Santo por antonomásia, o três vezes Santo (cf. Is 6,3). Professar a Igreja como santa significa apontar o seu rosto de Esposa de Cristo, que a amou entregando-se por ela precisamente para santificá-la (cf. Ef 5,25-26). Este dom de santidade é oferecido a cada batizado. Mas, o dom gera um dever, que há de moldar a existência cristã inteira: "Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação" (1 Ts 4,3). É um compromisso que diz respeito aos cristãos de qualquer estado ou ordem, chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade. Significa exprimir a convicção de que, se o batismo é um ingresso na santidade de Deus, por meio da inserção em Cristo e da habitação do Seu Espírito, seria um contrassenso contentar-se com uma vida medíocre (Cf. Novo Millenio ineunte 30-31).

A formação da cultura dos povos é marcada positivamente pela presença da Igreja e por homens e mulheres que se elevam pelo seu comportamento e suas opções de vida, mostrando que, efetivamente, é possível sair da rotina do “mais ou menos” para confirmar que uma alma que se eleva, eleva o mundo. Tenho descoberto esta santidade em homens e mulheres que a testemunham na fidelidade ao Evangelho, na coerência de suas opções e na estatura com que enfrentam as dificuldades da vida. Há de se abrir os olhos e descobrir tais pessoas, vendo-as como provocação positiva ao risco de acomodamento que nos cerca continuamente.

CNBB realiza lançamento da Doutrina Social da Igreja para os Jovens

A Comissão Episcopal para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança hoje, 23 de novembro, o Compêndio da Doutrina Social da Igreja para os Jovens – Docat. As cerimônias ocorrerão em locais e horários distintos, uma na sede da CNBB, em Brasília (DF), às 14h30 e outra no Colégio Dom Bosco, às 20h, também em Brasília.

O Docat é uma adaptação atraente e ilustrativa do Compêndio da Doutrina Social da Igreja, um pequeno manual dos Ensinamentos Sociais da Igreja. O livro foi idealizado pelos mesmos criadores do Catecismo Jovem (Youcat) e apresentado durante a Jornada Mundial da Juventude 2016, ocorrida em Cracóvia, na Polônia. Seu principal objetivo é ensinar numa linguagem dialógica, com perguntas e respostas, como os jovens cristãos podem mudar o mundo através da ação social e política, com base nos ensinamentos do Evangelho.

LECTIO DIVINA

Leitura: Mateus 9, 27-31

Jesus saiu daquele lugar, e no caminho dois cegos começaram a segui-lo, gritando:
— Filho de Davi, tenha pena de nós!
Assim que Jesus entrou em casa, os cegos chegaram perto dele. Então ele perguntou:
— Vocês creem que eu posso curar vocês?
— Sim, senhor! Nós cremos! — responderam eles.
Jesus tocou nos olhos deles e disse:
— Então que seja feito como vocês creem!
E os olhos deles ficaram curados. Aí Jesus ordenou com severidade:
— Não contem isso a ninguém!
Porém eles foram embora e espalharam as notícias a respeito de Jesus por toda aquela região.
Oração:
Dois cegos estavam pelo caminho e, quando Jesus passou, passaram a segui-Lo. Ainda cegos, passaram a segui-Lo, porque O ouviram passar.
A imagem dos cegos que seguem porque ouviram talvez represente também a nossa vida e a vida de muitos que nos rodeiam. Nem tudo em nós está aberto à graça, nem tudo em nós está conectado ao Amor, mas há uma parte que não está doente, que está completamente sã, que faz pulsar dentro de nós e que nos deixa ouvir: “Siga por aqui! Siga por esse caminho que lhe pode curar todo o corpo e a vida”.