sábado, 31 de março de 2012

A hóstia consagrada é nossa!



Pouca gente sabe, mas a hóstia consagrada usada nas celebrações eucarísticas das missas é produzida há 26 anos, pelas irmãs Clarissas do Mosteiro de Nossa Senhora do Guadalupe, em Caicó.
Daqui, saem por mês cerca de 90 mil partículas para as dioceses de Caicó, Natal e Mossoró.
Todo o trabalho é feito manualmente pelas irmãs noviças Maria Pia e Chiara de Jesus, que diariamente trabalham na confecção do produto sagrado.
A produção triplica, no período da Festa de Santana e no que antecede a páscoa, envolvendo as outras treze irmãs que se revezam para dar conta do pedido.
Além da fabricação de hóstias, as irmãs restauram imagens, confeccionam velas e paramentos usados por padres e na decoração de altares. Todo o lucro obtido é para manter a casa, já que as monjas não dispõem de outras vias para conseguir dinheiro além da colaboração de benfeitores, que doam alimentos.
Todo esse trabalho é mantido escondido por trás das paredes da casa. Afinal, o mistério faz parte da vocação de quem opta pela vida em clausura, renunciando aos cuidados, ambições e desejos mundanos para dedicar-se integralmente a Deus.
Fonte: Robson Pires

Os puros verão Deus

artigos

Conteúdo enviado pelo internauta Rodrigo Stankevicz
“Como um jovem manterá pura a sua vida?” (Salmo 118, 9). A pureza é uma virtude muito cara, sobretudo aos jovens, pois eles estão na flor da idade, potencialmente férteis e cheios de energia. Não obstante, o mundo se encontra brutalmente sexualizado, não há espaço para a pureza, o que há é um sistema de contra-valores destacado nos meios de comunicação em geral.
O salmista faz uma pergunta inquietante para os jovens modernos. Como livrar-se da impureza impregnada na TV, no rádio e na internet? Como escapar das situações de fornicação (sexo antes do casamento), dos sites pornográficos, dos olhares insaciáveis? O jovem cristão padece quando busca viver a castidade integralmente, quando se decide por uma vida de pureza constante. Muitos deles se perguntam como viver a pureza, outros até duvidam que isso seja possível num mundo mergulhado na prostituição socializada. A pureza é uma virtude que nos eleva à condição angelical, mas só pode ser conquistada com oração e disciplina.

Sejamos apaixonados por Cristo

 

Conteúdo enviado pelo internauta Fabiana Araújo
Estamos acostumados a ouvir falar tanto de amor quanto de paixão, mas será que sabemos o verdadeiro significado desses sentimentos? As pessoas geralmente os confundem. A paixão é o sentimento que dá impulso, que dá coragem e, por isso, quando estamos apaixonados temos a coragem de nos declarar, de fazer “loucuras”. Já o amor é um sentimento tranquilo, sereno. Mas ambos andam lado a lado, sabe por quê? Porque a paixão se torna amor.
Assim amou jesus
Cristo, quando veio ao mundo e se encontrou com a humanidade, Ele a amou. Mas por que Deus deixou com que Seu único Filho fosse crucificado? Porque Ele nos ama, porque Ele é apaixonado por nós! Foi o amor e a paixão que fizeram com que Jesus pudesse suportar tudo. Será que nós sabemos realmente amar? Será que somos apaixonados por esse Deus tão misericordioso?
Amados, nós devemos ser apaixonados pelo Senhor e essa paixão deve fazer com que larguemos a “vida velha” e vivamos a “vida nova” que Ele tem para nós. O nosso amor pelo Pai deve ser capaz de fazer com que renunciemos a tudo que não agrada a Deus.
Quando estamos amando, só de pensar em estar perto do amado faz nosso coração palpitar, dá um “frio na barriga”, não é verdade? Assim também deve ser quando vamos nos encontrar com Jesus na Santa Missa, quando Ele vem a nós na Santa Eucaristia. Eu me recordo de quando fiz a Primeira Comunhão há mais ou menos um ano. Lembro que quando chegou o momento em que eu iria para a fila da comunhão, meu coração batia extremamente rápido, minhas mãos suavam; quando eu recebi Jesus, meus olhos se encheram de lágrimas de felicidade, de alegria. Naquele instante, eu percebi que algo novo acontecia, o Cristo vivo entrou no meu coração e me fez entender o que é o verdadeiro amor.
“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não tem inveja. O amor não é orgulhoso, não é arrogante nem escandaloso. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita nem guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo perdoa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (1Cor 13,4-7). É essa forma de amar que Deus quer de nós, um amor desinteressado, puro.
Devemos viver esse amor e fazer com que as pessoas à nossa volta vivam-no também. Nós não levamos ninguém para o céu, mas podemos fazer com que quem amamos viva o céu aqui na terra. Um dia, todos já moramos no céu e é para lá que voltaremos. Deus quer isso, Ele quer Seus filhos por perto.
Desejo que você se apaixone por Cristo e que O ame também. Que você não tenha medo de abandonar tudo por Ele.
Paz e fogo!
Fraternalmente,
Fonte: Destrave

Mensagem do Papa Bento XVI

Bento XVI envia mensagem a detentos de Roma

Mirticeli Medeiros
Da Redação



Arquivo
Bento XVI em encontro com presos de Roma em 18 de dezembro de 2011
O Papa Bento XVI quis se fazer próximo a todos os encarcerados de Roma, às portas da semana santa. O Santo Padre visitou o cárcere de Rebbibia, que fica localizado na capital italiana em 18 dezembro de 2011, e agora, reforçou na mensagem publicada nesta sexta-feira, 30, por ocasião da Via Sacra realizada hoje  mesmo presídio, o que disse quando esteve com os detentos.

"Recordo os rostos que encontrei e as palavras que escutei, as quais me me tocaram profundamente", disse o Papa

O que tocou o Santo Padre foi o fato de muitos presos terem dito a ele, que o mais difícil para eles, era estarem longe da família.

A cruz da via sacra foi conduzida por 14 visitantes, enquanto que os comentários, foram proferidos por 3 detentos. O Papa concentrou sua reflexão sobre a possibilidade de reabilitação dentro do sistema prisional.

"O cárcere serve para reerguer-se depois da queda, para reconciliar-se consigo mesmo, com os outros e com Deus para poder depois voltar para a sociedade. Temos o exemplo de Jesus que nos faz entender que Ele viveu a nossa condição humana, o peso dos nossos pecados o fizeram cair", ressaltou.

Bento XVI concluiu dizendo aos detentos de Rebibbia para não desanimarem diante das mais duras provas.

"Não tenhamos medo de percorrer a nossa via crucis, de levar a nossa cruz junto com Jesus. Ele está conosco", concluiu.
 Fonte: Canção Nova

Frases de São Vicente de Paulo

“Não pode haver caridade se não vai acompanhada de obras de justiça”.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Reflexão do dia: "Quero ser uma televisão"

Na sala de aula, a professora pediu aos seus alunos que fizessem uma redação e que na mesma expressassem o que gostariam que Deus fizesse por eles. Já em casa e quando corrigia as redações dos seus alunos, deparou-se com uma que a deixou muito emocionada.
O marido, nesse momento, entrou na sala onde ela se encontrava e vendo-a soluçar perguntou-lhe: O que aconteceu? Ela respondeu-lhe: Lê – passando-lhe uma folha de papel .
– É a redação de um aluno meu.
O marido pegou a folha de papel que ela lhe entregara e começou a ler. “Senhor, esta noite peço-te algo de muito especial: transforma-me numa televisão! Quero ocupar o espaço dela. Viver como a televisão da minha casa vive. Ter um lugar especial para mim e reunir a minha família ao redor.
Ser levado a sério quando falar…. Ser o centro das atenções e ser escutado sem interrupções ou perguntas. Quero receber a mesma atenção que ela recebe quando não funciona.
Ter a companhia do meu pai quando ele chega em casa; mesmo que esteja cansado. Que a minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de me ignorar. E ainda, que os meus irmãos “briguem” para poderem estarcomigo.
Quero sentir que a minha família deixa tudo de lado, de vez em quando, para passar alguns momentos comigo. Por fim, que eu possa divertir a todos. Senhor, não te peço muito…, só Te peço que me deixes viver com intensidade, o que qualquer televisão vive!” Quando terminou a leitura o marido virou-se para a esposa e disse:
Meu Deus, coitado desse menino. Que pais ele tem! A professora olhou bem nos olhos do marido, e depois baixou-os, dizendo num sussurro: Essa redação pertence ao nosso filho!

Últimos dias de Jesus

Seguir Jesus é estar disposto a transformar o mundo


Imagem de DestaqueCada um de nós tem lá suas ideias a respeito de como deve se apresentar e como deve ser tratada uma pessoa importante. Acabamos projetando em Jesus essas concepções. É natural! Faz parte da nossa maneira de entender a vida. Por isso, quando se faz um filme da vida de Cristo, tudo é muito bonito e respeitoso. Até a crucificação é filmada com certa grandiosidade, colorido e iluminação adequada, para solenizar o momento sagrado.


Será que já nos demos conta de que os últimos dias da vida de Jesus não foram exatamente assim? Conseguimos imaginar o Senhor sendo torturado numa delegacia de hoje, sem cenário solene, tratado como “Zé-ninguém”, na crueza do dia a dia da violência humana? Entre a entrada festiva como rei em Jerusalém e o deboche da flagelação e da coroação de espinhos e da inscrição na cruz (Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus), somos levados a pensar: Que tipo de rei o povo queria? E que tipo de rei Jesus, de fato, foi?


O povo ansiava por um Messias, mas cada um o imaginava de um jeito: poderia ser um rei, um guerreiro forte que expulsasse os romanos, um “ungido de Deus”, capaz de resolver tudo com grandes milagres. É verdade que havia também textos que falavam do Messias sofredor, que iria carregar os pecados do povo. Mas essa ideia tão estranha não tinha assim muito apelo. Talvez o povo pensasse como muita gente de hoje: “De sofredor já basta eu! Quero alguém que saiba vencer”.


Deus, como de costume, exagera na surpresa. O Messias, além de não vir alardeando poder, entra na fila dos condenados. Para quem não olhasse a história com os olhos de hoje, não haveria muita diferença entre as três cruzes no alto do Monte Calvário. O processo, a condenação e a execução de Nosso Senhor Jesus Cristo foram uma grande coleção de desrespeitos aos direitos humanos. O julgamento foi rápido, sem provas suficientes, sem direito de defesa. A tortura precede a morte, e a humilhação faz parte da pena.




Assista: "O que é Domingo de Ramos", com professor Felipe Aquino 









Como logo depois vem a ressurreição, ascensão, glória etc... esquecemos depressa a imagem de Jesus como servo indefeso, como um judeu sem importância a quem as autoridades mandaram para a morte com aquele pouco caso com que costumam, tantas vezes, ser tratados até hoje os direitos dos pobres, especialmente, quando estes são acusados de algum delito, falso ou verdadeiro. “Este homem era realmente o Filho de Deus”. Esta é a conclusão do centurião que comandou a crucificação. Isso sabemos nós hoje, à distância de mais de dois mil anos, acostumados a honrar Jesus de todas as formas.


Que estranho rei e Filho de Deus é esse que se submete à tortura, que se deixa confundir com os dois ladrões que morrem a Seu lado? Percebemos que Deus está assumindo aí todos os nossos pecados e todas as nossas tragédias? Que está participando do destino de todos os que sofrem, inocentes e culpados? Quem está tomando posição diante da dor humana?


Não basta trazer flores para o crucifixo, louvar a Cristo com ramos bentos, fazer questão de ser chamado de cristão. Será que Jesus se contenta com isso tudo se não tivermos solidariedade com aqueles que hoje são companheiros de cruz de Nosso Senhor e nossos ritos não traduzirem nossa fé?


Estamos já no século XXI. São dois milênios em que nos acostumamos com o Cristo aclamado, nos habituamos com o símbolo da cruz, oramos ao Cristo poderoso nas necessidades. Será que não está na hora de perceber e viver melhor o apelo que nos vem do Filho de Deus, que aceitou ser um judeu sem defesa, a quem os poderosos trataram como um malfeitor?


Precisamos ser, como Jesus, uma Igreja servidora, missionária, evangelizadora e solidária com os que sofrem, compassiva com os caídos, disposta a transformar a injustiça do mundo, confiando mais na força do amor do que no poder.







JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO 2013

Vaticano apresentará novos detalhes sobre a JMJ Rio 2013

Nicole Melhado
Da Redação, com JMJ Rio 2013 e Boletim da Santa Sé



JMJ Rio 2013
Membros da Comissão Organizadora Local da JMJ Rio 2013 estão em Roma desde o dia 22 de março
Na próxima segunda-feira, 2, o Pontifício Conselho para os Leigos, órgão vaticano que coordena as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJs) apresentará novas informações para a JMJ Rio 2013.

A coletiva de imprensa está marcada para às 11h30, horário de Roma (6h30 em Brasília), na Sala João Paulo II e será conduzida pelo presidente do dicastério Cardeal Stanislaw Rylko, pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta e pelo presidente da Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB, Dom Eduardo Pinheiro da Silva.

Abra as portas para o Senhor entrar

Maranatha! Vem, Senhor Jesus!

Imagem de Destaque“Levantai, ó portas, os vossos frontões, erguei-vos, portas antigas, para que entre o rei da glória. Quem é este rei da glória? É o Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso no combate. Levantai, ó portas, os vossos frontões, erguei-vos, portas antigas, para que entre o rei da glória. Quem é este rei da glória? O Senhor dos exércitos – é ele o rei da glória” (Sl 23, 7-10).


Nós Te oferecemos, Senhor Jesus Cristo, Redentor do mundo, as chaves de nossa cidade e de nossos corações. Não fazemos mais do que Te retribuir, pois as chaves da inteligência e da vontade nos foram outorgadas pela benevolência com que fomos criados. Feitos para Deus e para olhar para o alto e para frente, queremos recuperar hoje nossa dignidade e dizer-Te que és bem-vindo. Bendito o que vem em nome do Senhor!

Frases de São Vicente de Paulo

“Temos de humilhar-nos muito quando caímos, fazendo tudo o possível com a graça de Deus para levantar-nos e para impedir cair-mos de novo”.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Frases de São Vicente de Paulo

“Se tivéssemos um pouco de esse amor – de Jesus Cristo – ficaríamos com os braços cruzados? Deixaríamos morrer a todos aqueles que podemos assistir? Não, a caridade não pode permanecer ociosa, mas move-nos à salvação e ao consolo dos demais”.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Reflexão do dia: "A fortuna e o mendigo"


Um dia, um mendigo esfarrapado estava se arrastando de casa em casa, carregando uma malinha velha. Em cada porta, pedia alguns centavos para comprar comida.

Queixava-se da vida, imaginando por que as pessoas que tinham bastante dinheiro nunca estavam satisfeitas, sempre querendo mais.
- Por exemplo, o dono desta casa - disse - , eu o conheço muito bem. Sempre foi bem nos negócios e, há muito tempo, ficou imensamente rico. Pena que não teve a sabedoria de parar por ali. Podia ter transferido os negócios a outra pessoa e passado o resto da vida descansando. 

Mas, em vez disso, o que foi que ele fez? Resolveu construir navios, enviando-os para comerciar com países estrangeiros. Pensou que ia ganhar montanhas em ouro. Mas caíram fortes tempestades; os navios naufragaram e toda a sua riqueza foi engolida pelas ondas. Agora, todas as suas esperanças jazem no fundo do mar, e sua grande riqueza desapareceu, como se acordasse de um sonho.

- Há muitos casos como esse. Os homens nunca ficam satisfeitos enquanto não conseguem ganhar o mundo inteiro! Quanto a mim, se tivesse o suficiente para comer e me vestir, não ia querer mais nada!

Nesse momento, a Fortuna veio descendo a rua e parou quando viu o mendigo. Disse-lhe:
- Escute! Há muito tempo venho querendo ajudá-lo. Segure sua malinha enquanto eu despejo umas moedas de ouro nela. Mas só faço isso com uma condição: o que ficar na malinha será ouro puro, mas o que cair no chão vai virar poeira. Está compreendendo?

- Sim, sim, claro que compreendo - disse o mendigo.

- Então tome cuidado - disse a fortuna. - Sua malinha está velha, é melhor não a encher muito.

O mendigo estava tão contente que mal podia esperar. Abriu rapidamente a malinha e uma torrente de moedas de ouro foi despejada ali dentro. Logo, a malinha foi ficando muito pesada.
- Já é o bastante? - perguntou a Fortuna.

- Ainda não.

- Mas ela já não está rachando?

- Que nada!

As mãos do mendigo começaram a tremer. Ah, se a torrente de ouro pudesse fluir para sempre!

- Agora você já é um homem muito rico!

- Só mais um pouquinho - disse o mendigo. - Só mais uns punhados.

- Pronto, já está cheia. Essa malinha vai explodir!

- Mas ainda agüenta um pouquinho, só mais um pouquinho!

Caiu mais uma moeda - e... a malinha estourou. O tesouro caiu ao chão e virou poeira. A Fortuna havia desvanecido. Agora, o mendigo só tinha mesmo a malinha vazia, ainda por cima rasgada de alto abaixo. Estava mais pobre do que antes.

Laicismo e intolerância

Imagem de DestaqueO laicismo é intrinsecamente intolerante



Uma distinção interessante, proposta pelo Papa Bento XVI, é a que se pode fazer entre laicidade e laicismo. Laicidade, segundo sua definição etimológica, é o caráter próprio do leigo. Laicismo, diferentemente, é a ideologia e o movimento que propõe a exclusão de qualquer influência religiosa na vida pública, social e cultural. A laicidade, diz o Sumo Pontífice, decorre da justa autonomia das realidades temporais. Conforme ensina o Concílio Vaticano II, em seu precioso documento Gaudium et Spes: «Se por autonomia das realidades terrenas entende-se que as coisas criadas e as próprias sociedades têm leis e valores próprios, que o homem irá gradualmente descobrindo, utilizando e organizando, é perfeitamente legítimo exigir tal autonomia

Mensagem do Papa Bento XVI

Papa explica como encontrar felicidade nos dias de hoje

Nicole Melhado
Da Redação



Arquivo
Bento XVI publica Mensagem para o Dia Mundial da Juventude, o qual será celebrado no próximo domingo, 1 de abril.
No interior de cada ser humano está impresso o desejo pela felicidade, que vai além de uma satisfação passageira. “Nosso coração busca a alegria profunda, plena e duradoura, que pode dar ‘sabor’ à existência”. Mas é realmente possível a alegria plena nos dias de hoje? Como distinguir as alegrias realmente duradouras dos prazeres imediatos e enganosos? Como encontrar a verdadeira alegria na vida, aquela que dura e não nos abandona também nos momentos difíceis?

As respostas para essas perguntas estão na mensagem do Papa Bento XVI para o 27º Dia Mundial da Juventude que será comemorado no neste domingo, 1º de abril. A mensagem foi divulgada nesta terça-feira, 27, e traduzida em primeira mão pelo noticias.cancaonova.com.
O Santo Padre salienta que no cotidiano existem muitas pequenas alegrias, mas estas só têm sentido a origem delas estiverem em Deus. Ele “é comunhão de amor eterno, é alegria infinita que não permanece fechada em si mesma, mas se expande naqueles que Ele ama e que o amam”, enfatiza.

Frases de São Vicente de Paulo

“O que conhece as suas próprias misérias – conhecimento que é graça de Deus – compreenderá muito bem a obrigação que tem de suportar a todos os demais”.

terça-feira, 27 de março de 2012

Amar é querer bem!

artigos

Conteúdo enviado pelo internauta Fabíola Santos
Ouvimos e falamos muito sobre o amor, sobre o seu significado, sua importância e como demonstrá-lo. Criamos diversas maneiras de expressar esse sentimento, de fazê-lo vivo em nossos relacionamentos. Falamos do amor de Deus. Porém, se formos descrever o que é amar, uma resposta simples e exata talvez não seja encontrada imediatamente. Então, o que é amar afinal? Amar nada mais é do que querer bem. É de nossa natureza desejar bem a quem amamos, às pessoas que estão à nossa volta e que nos são queridas. Mas se é assim, por que invadimos a liberdade do outro, impomos limites e regras que podem desrespeitá-lo de alguma forma, querendo que tudo seja feito do nosso jeito? Desta forma, acabamos causando a infelicidade dele e nos contrapomos à realidade de amar.
Só seremos capazes de sanar as faltas afetivas de nossos corações se permitirmos a ação do Espírito Santo em nosso ser, pois sem Ele é impossível. Só assim estaremos abertos para nossa grande missão que é o amor. Jesus nos deixou este mandamento: “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amo” (Jo 15,21). Não é preciso exemplo maior de amor do que o de nosso Senhor: amor incondicional, sem cobranças, sem interesses. É Ele quem nos pede para amarmos de tal maneira, para termos um sentimento puro e isento de interesses próprios.
“Só seremos capazes de sanar as faltas afetivas de nossos corações se permitirmos a ação do Espírito Santo em nosso ser”
Temos de Deus, por amor, uma auxiliadora: Maria Santíssima. Com Sua simplicidade, doçura, pureza e amor, Ela nos ensina o novo de Deus. Foi esse amor ao Pai que a fez prosseguir ao lado de Seu Filho na Cruz, onde Ela sofreu com amor e por amor.
Como diz uma música, a menor intenção de ser melhor já é amor. Então, o que temos a oferecer aos outros é aquilo que de melhor possuímos; e mesmo que consideremos pouco, em Deus se torna o nosso maior e melhor amor.
Nascemos para amar. Ser amado é consequência, pois, como nos diz Jesus, “viemos ao mundo para servir,  não para sermos servidos”. Precisamos amar verdadeiramente, mesmo que isso não nos traga nenhum acréscimo ao ego, nenhum retorno. Devemos ter no coração o sentimento de simplesmente, de querer bem ao outro e sermos capazes de doar nosso sangue, se preciso for, por aqueles que amamos. Também não podemos hesitar em nos entregar a Quem que nos ensinou o amor e nos amou primeiro.
Paz e bem!
Um abraço fraterno

Fonte: Destrave

Mensagem do Papa Bento XVI

Papa: Deus respeita a liberdade humana e tem necessidade dela

Mirticeli Medeiros
Da Redação



Site oficial da visita apostólica de Bento XVI a Cuba
Bento XVI celebra sua primeira Missa em Cuba
O Papa Bento XVI celebrou nesta segunda-feira, 26, em Santiago de Cuba, a Missa pelos 400 anos da devoção à Virgen de la Caridad del Cobre, na Praça Antonio Maceo, a qual contou com a presença do presidente do país, Raúl Castro. Esse foi o segundo compromisso de Bento XVI em Cuba, após a Cerimônia de Boas-Vindas no aeroporto de Santiago, Cuba, ocorrida hoje.
No primeiro dia de visita apostólica ao país, o Santo Padre chegou de papamóvel ao local e foi acolhido pelo povo ao som da música "Bem-vindo Santo Padre". Minutos antes da celebração, os cubanos gritavam: "Bento, amigo, Cuba está contigo".
No início da celebração, o arcebispo de Santiago, Dom Dionísio García Ibáñez fez um discurso de boas-vindas ao Pontífice.
A homilia

Diante de 250 mil pessoas, neste dia no qual também se celebra a Solenidade da Anunciação do Senhor , Bento XVI iniciou sua homilia dizendo que a visita era muito desejada por ele. Referindo-se à liberdade humana, o Santo Padre também explicou como Deus age diante da liberdade que é conferida a cada homem.

"É comovente ver como Deus não só respeita a liberdade humana, mas parece ter necessidade dela. E vemos também como o início da existência terrena do Filho de Deus está marcado por um duplo «sim» à vontade salvífica do Pai: o de Cristo e o de Maria", disse.
Ele também acrescentou que quando Deus deixa de ser algo fundamental, o homem sente-se deslocado no mundo.

"Pelo contrário, quando Deus é posto de lado, o mundo transforma-se num lugar inospitaleiro para o homem, frustrando ao mesmo tempo a verdadeira vocação da criação que é ser o espaço para a aliança, para o «sim» do amor entre Deus e a humanidade que Lhe responde", destacou.

A partir do exemplo de Nossa Senhora, o Pontífice convidou cada fiel a seguir o exemplo de Maria que aderiu totalmente à vontade de Deus e anunciou, com sua vida, a novidade do Senhor."Vale a pena, amados irmãos, dedicar toda a vida a Cristo, crescer cada dia na sua amizade e sentir-se chamado a anunciar a beleza e a bondade da própria vida a todos os homens, nossos irmãos. Encorajo-vos na vossa tarefa de semear no mundo a palavra de Deus e oferecer a todos o verdadeiro alimento que é o corpo de Cristo", salientou.
Homenagem à Virgen de la Caridad del Cobre
Ao final da celebração, Bento XVI ofereceu uma rosa de ouro à imagem da Virgen de la Caridad del Cobre. Trata-se de um gesto tradicional dos papas que serve para homenagear o título de Nossa Senhora venerado no país que recebe a visita do Pontífice.
Fonte: Canção Nova
Entenda o significado do Domingo de Ramos
O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus abanando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: "Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas".
Os ramos apresentados pelo povo nos remetem ao Sacramento do batismo, e, através disso, somos filhos de Deus e responsáveis pela missão da nossa Igreja. E o ato de levarmos os ramos para casa nos lembra que estamos unidos a Cristo na luta pela salvação do mundo.

A Procissão de Ramos tem como objetivo apresentar a peregrinação que cada cristão realiza sobre a terra buscando a vida eterna ao lado do Senhor. Esse ato nos faz relembrar que somos peregrinos nesse mundo e que o céu é o lugar de onde viemos e para onde devemos voltar.

Por fim, a Santa Missa do Domingo de Ramos traz a narrativa de São Lucas sobre a paixão de Jesus: sua angústia mortal no Horto das Oliveiras, o sangue vertido com o suor, o beijo traiçoeiro de Judas, a prisão, os mau tratos nas mãos do soldados na casa de Anãs, Caifás; seu julgamento iníquo diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, sua condenação, o povo a vociferar “crucifica-o, crucifica-o”; as bofetadas, as humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, a ajuda do Cirineu, o consolo das santas mulheres, o terrível madeiro da cruz, seu diálogo com o bom ladrão, sua morte e sepultura.

O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o seu Reino de fato não é deste mundo. Que ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas veio para derrubar um inimigo muito pior e invisível, o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar a Paixão, passar pela morte para destruir a morte; perder a vida para ganhá-la.

Professor Felipe Aquino
Fonte: Canção Nova

Frases de São Vicente de Paulo

“Olhai para o barrote que sustêm o peso do teto, sem ele o teto viria a baixo. Também Jesus Cristo tem-nos guardado em todas as nossas caídas, as nossas cegueiras e a nossa preguiça de espírito”.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Imagens de Deus

No amor de Cristo encontramos o verdadeiro rosto do Pai


Imagem de DestaqueNosso relacionamento com Deus passa pelas imagens que d'Ele temos cultivadas em nosso coração. Imagens deturpadas do Senhor fazem com que nossa relação com o Senhor seja difícil e, por vezes, inconstante. Muitas vezes, será preciso realizar uma purificação em nosso coração para que a verdadeira imagem de Deus Pai possa habitar todo o nosso ser. Contudo, um processo de purificação não acontece do dia para a noite, é todo um processo de tomada de consciência.

Desde crianças fomos influenciados por inúmeras imagens de Deus que nos foram transmitidas por nossos pais e por tantas outras pessoas que conviveram conosco. Muitos tiveram essa experiência negativa nos primeiros anos da infância, ao ouvirem de seus pais: “Não faça mais isso, pois Deus te manda para o inferno!”, “Deus vai te castigar, viu?”. Interessante é notarmos que estas imagens negativas de Deus Todo-poderoso continuam muito atuais em nossa sociedade. Todos os dias o nome d'Ele é usado para impor medo nas crianças e, muitas vezes, também em pessoas já na fase adulta.


Alguns, quando crescem, conseguem se libertar dessas imagens distorcidas de Deus que lhes foi ensinado em determinadas épocas da vida. Outros não! O impacto que receberam, ao ouvirem que Deus castiga e se vinga de Seus filhos, foi tão grande e deixou marcas tão profundas na vida deles que, no hoje da vida, sofrem com as imagens negativas que ainda estão muito vivas em seu coração.

Pessoas adultas, quando são afligidas por alguma doença ou algum sofrimento, desenvolvem o seguinte pensamento: “O que será que eu fiz para Deus me castigar assim?”, “Deus me enviou esta doença para que eu pague pelos meus pecados”. Muitos impactos, acerca de um Deus tirano e castigador, podem acompanhar a vida de uma pessoa por longos estágios emocionais.




Assista: "Quem é Deus para mim?, com padre Demétrio Gomes







Quando olhamos para o Antigo Testamento encontramos muitas imagens distorcidas do Altíssimo. Era a mentalidade de um povo que cultivava uma imagem de um Deus tirano e vingativo. Quando não se compreende o contexto de um livro do Antigo Testamento é comum criar imagens negativas em cima de outras imagens negativas. Mas mesmo tendo essas imagens ofuscadas do Senhor, o que prevalece nos relatos é o rosto de um Deus misericordioso que sempre se compadece do Seu povo.
É em Jesus Cristo que nos é revelado o verdadeiro rosto do Pai: um Deus-amor, misericordioso, que sempre acolhe Seus filhos e filhas com os braços abertos. No amor de Cristo descobrimos a verdadeira imagem de Deus!

Nem sempre é fácil nos libertarmos de uma mentalidade que pode ter nos acompanhado durante décadas de nossa vida. Mas se desejamos ter um relacionamento profundo em Deus é necessário iniciarmos um processo de purificação em nossa maneira de pensar. A misericórdia e o amor que Deus tem por cada um de nós são muito maiores dos que medos que foram colocados em nosso coração.

Em Jesus descobrimos o amor do Pai em gestos concretos: acolheu os excluídos de Seu tempo dando a cada um a chance de recomeçarem a reescrever novas páginas de suas vidas; olhou com misericórdia para quem somente recebia olhares de condenação...

No amor e na misericórdia de Deus encontramos sempre novos motivos para olhar a vida com novos olhares. Prisioneiros de um inverno de medos, no amor de Deus encontramos uma linda primavera de possibilidades.
No amor de Cristo encontramos o verdadeiro rosto do Pai, que nos impulsiona a sermos testemunhas da Misericórdia Divina a todos aqueles que buscam uma nova experiência de fé no cotidiano da vida. Novos olhares nascem de novas concepções. Novas imagens de Deus nascem da experiência de um verdadeiro amor.









Mensagem do Papa Bento XVI

Devoção à Virgem Maria aproxima cristãos de Jesus, explica Papa

Nicole Melhado
Da Redação



Montagem sobre fotos / TV Canção Nova
Maria é 'a Mãe do verdadeiro Deus, que nos convida a permanecer à sua sombra pela fé e a caridade', destaca o Papa
A verdadeira devoção à Virgem Maria “aproxima-nos sempre de Jesus, e não consiste numa emoção estéril e passageira, mas nasce da fé, que nos faz reconhecer a grandeza da Mãe de Deus e nos incita a amar filialmente a nossa Mãe e a imitar as suas virtudes”, destacou o Papa Bento XVI na oração do Angelus pronunciada no começo da tarde deste domingo, 25, na Praça do Bicentenário, em León, no México.

“Amá-la é comprometer-se a escutar o seu Filho; venerar a ‘Guadalupana’ é viver segundo as palavras do fruto bendito do seu ventre”, reforçou o Pontífice depois da
Missa que reuniu mais de 400 mil fiéis.
O Papa recordou das tantas famílias que se encontram divididas ou forçadas a emigrar, aquelas que sofrem por causa da pobreza, da corrupção, da violência doméstica, do narcotráfico, da crise de valores ou da criminalidade, pedindo que a Virgem Maria lhes dê conforto, fortaleza e esperança.

“É a Mãe do verdadeiro Deus, que nos convida a permanecer à sua sombra pela fé e a caridade, para deste modo superarmos todo o mal e instaurarmos uma sociedade mais justa e solidária”, disse.

Com estes sentimentos, o Santo Padre colocou sob a proteção materna de Nossa Senhora de Guadalupe o México, toda a América Latina e o Caribe.

“Em tempos de tribulação e sofrimento, Ela foi invocada por tantos mártires que, ao grito ‘Viva Cristo Rei e Maria de Guadalupe’, deram testemunho de inquebrantável fidelidade ao Evangelho e entrega à Igreja. Agora, suplico-Lhe que a sua presença nesta querida nação continue a ser apelo ao respeito, defesa e promoção da vida humana e à consolidação da fraternidade, evitando a vingança inútil e desterrando o ódio que divide. Santa Maria de Guadalupe nos abençoe e obtenha, com a sua intercessão, abundantes graças do Céu”, pediu.

Depois da recitação do Angelus, o Papa dedicou um momento de oração diante da imagem da Virgem de Guadalupe. Por fim, abençoou 91 reproduções da Virgem de Guadalupe que serão levadas a cada uma das dioceses mexicanas.

Ainda neste domingo, às 18h (horário local, 21h pelo horário de Brasília), Bento XVI celebrará as Vésperas com os bispos do México e da América Latina na Catedral da Mãe Santíssima da Luz, em León. Acompanhe a transmissão ao vivo pela Tv Canção Nova.
Fonte: Canção Nova

Frases de São Vicente de Paulo

“Faz, Senhor, que na perseguição nos mantenhamos firmes, sem fugir nem dobrar-nos perante os ataques do mundo”.

domingo, 25 de março de 2012

Evangelho de hoje: João 12,20-33 (5º Domingo da Quaresma)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 20havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém, para adorar durante a festa. 
21Aproximaram-se de Filipe, que era de Betsaida da Galileia, e disseram: “Senhor, gostaríamos de ver Jesus”. 
22Filipe combinou com André, e os dois foram falar com Jesus. 
23Jesus respondeu-lhes: “Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado.24Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto. 
25Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo, conservá-la-á para a vida eterna. 
26Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. 
27Agora sinto-me angustiado. E que direi? ‘Pai, livra-me desta hora?’ Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. 28Pai, glorifica o teu nome!”
Então veio uma voz do céu: “Eu o glorifiquei e glorificarei de novo!”
29A multidão, que aí estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão. Outros afirmavam: “Foi um anjo que falou com ele”. 
30Jesus respondeu e disse: “Essa voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. 31É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, 32e eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim”. 
33Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer”. 


- Palavra da Salvação. 
- Glória a vós, Senhor.

"Deus não desiste de nós"

Reflexão do dia: "Cuidado ao 'expressar' suas palavras"

Nunca julgue ninguém!


Um médico entrou no hospital com pressa depois de ser chamado...  "é uma cirurgia de urgência". Ele respondeu à chamada o mais rápido possível, trocou de roupa e foi direto para centro cirúrgico.
Ele encontrou o pai do menino indo e vindo na sala de espera do médico. Depois de vê-lo, o pai gritou:
"Por que você levou todo esse tempo para vir? Você não sabe que a vida do meu filho está em perigo? Você não tem senso de responsabilidade? "

O médico sorriu e disse:
"Lamento, eu não estava no hospital e eu vim o mais rápido que pude depois de receber a ligação... E agora, eu gostaria que você se aclamasse para que eu possa fazer meu trabalho"

“Acalmesse, se fosse seu filho que estivesse nesta sala agora, iria se acalmar”? Se o seu próprio filho morresse agora o que você iria fazer? Disse o pai com raiva.

“O médico sorriu novamente e respondeu: “Eu vou dizer o que disse Jó na Bíblia Sagrada” Do pó viemos e ao pó voltaremos, bendito seja o nome de Deus “. Os médicos não podem prolongar a vida. Vá e interceda por seu filho, vamos fazer o nosso melhor pela graça de Deus "

"Dar conselhos é fácil", murmurou o pai.

A cirurgia levou algumas horas e depois que o médico saiu feliz, "Graças a Deus! Seu filho está salvo! "

E sem esperar a resposta do pai o medico saiu correndo. "Se você tem alguma dúvida, pergunte a enfermeira! Disse o medico."

"Por que ele é tão arrogante? Ele não podia esperar alguns minutos para que eu pudesse perguntar sobre o estado do meu filho ", comentou o pai ao ver os enfermeiros minutos depois que o médico saiu.

A enfermeira respondeu, com lágrimas descendo seu rosto: "Seu filho morreu ontem num acidente de viação, ele estava no enterro, quando o hospital o chamou para a cirurgia de seu filho. E agora que ele salvou a vida de seu filho, ele saiu correndo para terminar o enterro de seu filho. "

Nunca julgue ninguém, porque você nunca sabe como sua vida é e ao que está acontecendo ou o que eles estão passando.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Homem e mulher: as diferenças que se completam

Mulher e sua identidade / reportagens

Aprendemos desde crianças que não podemos excluir aquele que de nós se difere, seja na cor, na crença, na etnia etc. O fato de alguém ser diferente de nós não significa que este seja inferior naquilo que estabelecemos como padrão. A beleza do masculino e feminino está na desigualdade que atrai o seu oposto, não no sentido de torná-lo inferior por aquele que julga ser o sexo forte. Melhor será se, dentro de nossos relacionamentos, as pessoas se comportassem como aprendizes daquilo que o outro tem a contribuir e que se percebe não ser próprio da sua natureza.
Homem e mulher são diferentes. As diferenças vão muito além do aspecto anatômico. Algumas características são muito próprias da personalidade masculina, percebidas facilmente no dia a dia das relações, na maneira de pensar, de agir e reagir. Trazemos prioridades distintas, temos identidades próprias. Para os homens a importância das coisas está no cumprimento de uma tarefa. Se há algo a ser feito, mentalmente ele projeta o tempo estimado para realizar o trabalho, enquanto a mulher, além de considerar o trabalho a ser executado, também considera os efeitos gerados por aquela ação.

O que prova o poder intercessor de Maria?

Jéssica Marçal
Da Redação



Arquivo
'A figura, a pessoa, o papel de Nossa senhora é inseparável da redenção de Jesus', diz padre Antônio
Não são raras as manifestações da devoção a Nossa Senhora. No Brasil e em todo o mundo, fiéis recorrem a Santa Mãe de Deus, em especial quando precisam alcançar alguma graça, pedindo sua intercessão junto a Cristo. Essa intercessão da Virgem Maria será tema do VI Congresso Mariológico, que começa nesta sexta-feira, 23, em Aparecida (SP).

Mas até que ponto vai a intercessão de Maria? O diretor da Academia Marial, padre Antônio Clayton Sant’Anna, explicou que Jesus é o único mediador e Nossa Senhora exerce um papel maternal subordinado.

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO 2013

Cruz da JMJ chega ao Piauí nesta quarta-feira


Da Redação, com Diocese de Oeiras



A cidade de Oeiras, no Piauí, recebe nesta quarta-feira, 21, a visita da Cruz peregrina e do Ícone de Nossa Senhora, símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), com o evento religioso ‘Bote Fé’.

A Diocese preparou uma intensa programação para o evento. Entre elas, será inaugurada a Fazenda Esperança Bom Jesus dos Passos de Oeiras. Além de Oeiras, os municípios de Santa Rosa e Simplício Mendes também receberão a vista dos símbolos da JMJ.

Confira a programação

21 de março - em Oeiras
16h30 - acolhida dos símbolos na BR 230
17h - Missa de instalação e bênção da Fazenda Esperança Bom Jesus dos Passos
19h30 - Missa e Show no Ginásio Santanhinha
23h - Vigília na Catedral

22 de março
05h - Alvorada na Catedral
08h - Visita ao Centro dos Idosos
09h30 - Visita ao Hospital Regional “Deolindo Couto-Oeiras”
11h - Visita à Penitenciária
14h - Saída para o Setor Santa Rosa
15h - Chegada a Santa Rosa - caminhada pelas ruas da cidade
17h30 - Ato de adoração a Jesus Cristo na Cruz (Área Pastoral Santo Antônio de Várzea Grande)
19h - Missa
20h30 - Apresentações culturais

23 de março
05h - Alvorada em Santa Rosa
06h - Saída para o Setor Simplício Mendes
09h - Chegada, Procissão e Missa em Simplício Mendes
11h - Ato de adoração a Jesus Cristo na Cruz
14h30 - Celebração de entrega à Diocese de São Raimundo Nonato.


A Jornada se realiza a cada três anos em um país específico, mas será antecipada para o ano de 2013 em decorrência da realização da Copa do Mundo no Brasil, em 2014. A última edição foi em 2011 na cidade de Madri, na Espanha.

O grande encontro será na cidade do Rio de Janeiro, de 23 a 28 de julho. Estima-se que cerca de cinco milhões de pessoas participem.
Fonte: Canção NOva
Quarta-feira, 21 de março de 2012, 15h34

No México, Bento XVI realizará um sonho de João Paulo II

Mirticeli Medeiros com Rádio Vaticano em italiano
Da Redação



Arquivo
Bento XVI cumpre no México sua 23ª viagem apostólica internacional
Oração cotidiana, revisão dos discursos e um grande amor pela Virgem de Guadalupe. Deste modo Bento XVI transcorre os dias que o separam de sua 23ª viagem apostólica a México e Cuba. Por este motivo, os compromissos semanais do Papa - inclusive a audiência geral de desta quarta-feira, 21 -  foram anulados.

Em entrevista à rede de televisão mexicana Televisa, o secretário de estado do Vaticano, Cardeal Tarcísio Bertone, explicou o que levou o Papa a escolher tal destino.

"A escolha pelo Mexico, sem duvida, é um grande ato de amor do Papa pelo país, este grande país da América Latina, um grande país católico, uma país em pleno desenvolvimento, mas que ao mesmo tempo atravessa problemas e desafios, sobretudo os desafios da violência, os desafios da corrupção, do narcotráfico, que exigem o empenho de todos (...) O Papa quer levar uma mensagem de encorajamento diante de tudo isso e quer falar sobretudo aos jovens para que eles não desanimem", explicou.

Bento XVI visitará o estado de Guanajuato, considerado o coração geográfico e espiritual do México. O cardeal revela que Bento XVI escolheu a cidade motivado por um sonho antigo de João Paulo II.
"Sabemos os motivos desta escolha do Papa. Uma escolha, confesso, extraordinária, que me tocou desde quando soube das motivações do Papa. João Paulo II, recordamos, desejava muito ir em peregrinação àquele santuário e não poderia fazê-lo por muitos motivos. Sendo assim, Bento XVI disse: 'Eu devo realizar este desejo de João Paulo II e ir lá, como seu sucessor, àquele Santuário que é o coração da fé heróica do povo mexicano' ", afirmou Bertone.
Fonte: Canção NOva

Frases de São Vicente de Paulo

“Os pobres sãos os nossos intercessores diante de Deus”.

quarta-feira, 21 de março de 2012

"Vigiai e Orai" (Mt 26, 41)

Reflexão do dia: "Perder é ganhar"

Um dia um homem já de certa idade abordou um ônibus. Enquanto subia, um de seus sapatos escorregou para o lado de fora. A porta se fechou e o ônibus saiu, então ficou incapaz de recuperá-lo. O homem tranquilamente retirou seu outro sapato e jogou-o pela janela.

Um rapaz no ônibus, vendo o que aconteceu e não podendo ajudar ao homem, perguntou,
- Notei o que o senhor fez. Por que jogou fora seu outro sapato?

O homem prontamente respondeu,
- De forma que quem o encontrar seja capaz de usá-los. Provavelmente apenas alguém necessitado dará importância à um sapato usado encontrada na rua. E de nada lhe adiantará apenas um pé de sapato.

O homem mostrou ao jovem que não vale à pena agarrar-se a algo simplesmente por possui-lo e nem porque você não deseja que outro o tenha.

Perdemos coisas o tempo todo. A perda pode nos parecer penosa e injusta inicialmente, mas a perda só acontece de modo que mudanças, na maioria das vezes positivas, possam ocorrer em nossa vida.

Como o homem da história, nós temos que aprender a desprender. Alguma força decidiu que era hora daquele homem perder seu sapato. Talvez isto tenha acontecido para iniciar uma série de outros acontecimentos bem melhores para o homem do que aquele par de sapatos. Talvez a procura por outro par de sapatos tenha levado o homem à um grande benfeitor. Talvez uma nova e forte amizade com o rapaz no ônibus. Talvez aquele rapaz precisasse presenciar aquele acontecimento para adotar uma ação semelhante. Talvez a pessoa que encontrou os sapatos tenha, à partir daí, a única forma de proteger os pés.

Seja qual for a razão, não podemos evitar de perder coisas. O homem sabia disto. Um de seus sapatos tinha saído de seu alcance. O sapato restante não mais lhe ajudaria, mas seria um ótimo presente para uma pessoa desabrigada, precisando desesperadamente de proteção do chão.

Acumular posses não nos faz melhores e nem faz o mundo melhor. Todos nós temos que decidir constantemente se algumas coisas devem manter seu curso em nossa vida ou se estariam melhor com outros. 

Teaser Assembléia Nacional da JMV

terça-feira, 20 de março de 2012

Novo recomeço

Os sofrimentos são oportunidades para recomeçar
 

Imagem de DestaqueO tempo da Quaresma, na prática do cristão, é como a chegada de uma nova vida. É um processo que chamamos de conversão, de transformação, transfiguração e de novo começo. Tudo isso acontece, levando-se em conta, a forma de vida de Jesus Cristo. É um caminho de vitória, mas que passa pelos compromissos da cruz.


Não é fácil entender o amor de Cristo na cruz, porque nossa cabeça é feita pelo mundo em que vivemos. A palavra “mundo” relativiza aquilo que é relacionado com a palavra “céu”. Deus amou o mundo dando-nos o próprio Filho para nos trazer as condições de vida digna. Isso aconteceu no Seu gesto de doação que culminou na cruz. Dizemos que o mundo é bom. Ele é a natureza onde Deus mora. Até dizemos que ele é bom e nós é que somos ruins. Nós é que o destruímos pelas estruturas perversas, por más administrações, pela corrupção de toda ordem, pela corrida ofegante pelo poder e a busca desenfreada de satisfações momentâneas.




Assista: "O sofrimento não é maldição e sim redenção", com padre Reginaldo Manzotti









Ter um novo nascimento é fazer acontecer a partilha e a fraternidade verdadeiras, participar da mesa comum fazendo a vontade de Deus “assim na terra como no céu”. Nesta dimensão, os sofrimentos nunca podem ser entendidos como castigo de Deus, mas sim condições de uma doação constante em busca de saúde e vida. Muitas de nossas práticas de hoje nos tornam impuros e indignos de participar do “Banquete do Senhor”. Deixamos que a injustiça nos domine e de ser fiéis aos princípios da vida, “fazendo como todo o mundo faz”. Neste contexto, as ações do cristão devem fazer a diferença no cumprimento da vontade de Deus.


Jesus fala em “nascer de novo”, que acontece na força da cruz. É uma questão de fé, porque quem não crer n'Ele, vai acreditar na força do dinheiro, do poder, do prestígio, da fama e da competição. Crer em Jesus é crer na cruz. O mundo da arrogância odeia a luz e a cruz, e perde o sentido verdadeiro da vida e da verdade.