quinta-feira, 24 de setembro de 2015

LECTIO DIVINA

Leitura: Lucas 9,7-9
Herodes, o governador da Galileia, ouviu falar de tudo o que estava acontecendo e ficou sem saber o que pensar. Pois alguns diziam que João Batista tinha sido ressuscitado, outros diziam que Elias tinha aparecido, e outros ainda que um dos antigos profetas havia ressuscitado. Mas Herodes disse:
— Eu mesmo mandei cortar a cabeça de João. Quem será então esse homem de quem ouço falar essas coisas?
E Herodes procurava ver Jesus.
Oração: Duas perguntas
Por ter feito inúmeros milagres, atraindo a atenção pública, e pelo discurso novo, instruindo mudança de vida e da forma de pensar o mundo, Jesus ameaçava a soberania dos políticos de sua época. Herodes tinha curiosidade sobre aquele que desafiava toda a ordem e religião estabelecidas. Sua dúvida nos ajuda a rezar: Quem será então esse homem de quem ouço falar essas coisas?

Duas perguntas constantes ao longo da trajetória missionária de Jesus são estas: Quem é Jesus? De onde Ele vem? São perguntas que precisam ser constantemente pensadas por todos os cristãos, porque são capazes de realçar a nossa fé e de endireitar nosso caminho de imitação do Cristo.
Pensar sobre essas questões é tão importante que, em Marcos 8,27-30, é o próprio Jesus que questiona seus discípulos sobre qual seria a sua identidade: Quem o povo diz que eu sou? E vocês? Quem vocês dizem que eu sou?
Quando nossa oração é confusa, ou quando nossa fé se abala diante das perturbações do mundo, façamos a nós mesmos essas duas perguntas, sobre a identidade e a origem de nosso bom mestre. Peçamos a Jesus que também nós tenhamos a segurança de Pedro, ao respondê-lo de imediato: O Senhor é o Messias!
Por meio da intimidade com Jesus e buscando imitar tudo aquilo que Ele fez para revolucionar o seu tempo, um bom exercício para pensarmos sobre os desafios da atualidade, no sentido de sermos cristãos atuantes na nossa realidade, é imaginarmos aquilo que Jesus pensaria, diria ou faria em cada caso. Certamente esse exercício poderá nos surpreender, ao percebermos que muito do que defendemos ou praticamos está distante daquilo que seria defendido ou praticado por Jesus.
Marcelo H. Camargos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário