quinta-feira, 17 de setembro de 2015

E quando tudo perde o sentido?

Sabe aquele dia em que você perdeu algo muito importante e não sabe onde colocou? Tipo aquele documento importantíssimo que garante sua vaga naquele trampo, ou naquela facul que você acabou de ser aprovado.

Sabe aqueles dias que você está super atrasado para um compromisso e simplesmente não se recorda onde colocou a chave do carro e até começa a suar frio de tanta angústia?

Perder algo sempre nos causa uma sensação ruim, uma angústia, um aperto no coração. E quando perdemos alguém então, nossa nem me fale.

Quando Maria Madalena foi de manha ao sepulcro, seu coração estava assim, no sentimento da perda do Senhor. Sua pergunta?

Aquela mesma que fazemos muitas vezes quando perdemos algo:

Onde puseram? Onde está?


A pergunta do coração de Maria Madalena estava assim envolvida na dor da perda:

Onde puseram o meu Senhor?

Não era a perda somente de alguém, ou coisa, era a perda do sentido, da esperança, da certeza. Ele tinha morrido e o buraco no coração estava doendo. Quem poderia tampá-lo? O que fazer? Como continuar a viver assim? Uma dor tão grande que tirou até a visão de céu que ela tinha, pois conversou com os anjos e nem se deu conta que eram anjos. Olhou para Jesus e pensou que era um jardineiro, não o reconheceu. A dor da perda falou mais alto e tirou até a capacidade de reconhecer o Cristo.

Mas tudo muda quando Ele a chama pelo nome “Maria”. Não era um chamar qualquer, era uma forma de dizer: “ Eu te vejo como única” “Você é insubstituível” “ Eu estou aqui”.

Acredito que nesta fração de segundo Maria fez o que muitos de nós fazemos quando perdemos algo:

“Vamos fazendo uma retrospectiva de nossos passos, por onde passamos, quem esteve presente, tudo a fim de recordar onde ficou aquilo que estamos a procura”

Sim, naquele momento que Jesus a chamou pelo nome, ela fez uma retrospectiva de cada momento vivido com Ele, cada segundo que se eternizou, que significou e que abriu mundos desconhecidos de amor e misericórdia. E assim, ela pode dizer: Mestre, minha esperança!

Estamos vivendo os mesmos dias de Madalena, onde puseram o meu Senhor, minha esperança?

Não tenha receio de fazer sua retrospectiva e dizer: Mestre!

Que nenhum fragmento de nossa história fique indiferente a força do ressuscitado! Ele está aqui no coração!

Quero com você dizer como Maria, Eu vi o Senhor!

Partilhe em qual situação você pode dizer: Eu vi o Senhor?

Adriano Gonçalves

Fonte: http://blog.cancaonova.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário