quinta-feira, 6 de agosto de 2015

LECTIO DIVINA

Resplandecer a experiência do amor (Marcos 9, 2-10)

“Seis dias depois, Jesus foi para um monte alto, levando consigo somente Pedro, Tiago e João. Ali, eles viram a aparência de Jesus mudar. A sua roupa ficou muito branca e brilhante, mais do que qualquer lavadeira seria capaz de deixar. E os três discípulos viram Elias e Moisés conversando com Jesus. Então Pedro disse a Jesus:
- Mestre, como é bom estarmos aqui! Vamos armar três barracas: uma para o senhor, outra para Moisés e outra para Elias.
Pedro não sabia o que deveria dizer, pois ele e os outros dois discípulos estavam apavorados. Logo depois, uma nuvem os cobriu, e dela veio uma voz, que disse:
- Este é o meu Filho querido. Escutem o que ele diz!
Aí os discípulos olharam em volta e viram somente Jesus com eles.
Quando estavam descendo do monte, Jesus mandou que não contassem a ninguém o que tinham visto, até que o Filho do Homem ressuscitasse. Eles obedeceram à ordem, mas discutiram entre si sobre o que queria dizer essa ressurreição.”
Na oração de hoje, vamos pedir a Jesus que nos leve com Ele também ao monte alto, ao lugar da manifestação de Deus. Que possamos nele contemplar o mistério que nos confirme na fé e na esperança.
Os discípulos viram “a aparência de Jesus mudar.” Em sua união com o Pai, Jesus revela, resplandece a Glória de Deus. “O Filho brilha com o brilho da glória de Deus e é a perfeita semelhança do próprio Deus.” (Hb 1,3) Jesus revela aos discípulos a glória que se manifestará nele em Seu Mistério Pascal, em sua morte e ressurreição. As figuras de Moisés e Elias simbolizam que a Lei e os Profetas têm sua plenitude no Filho. Por isso, é a Ele que devemos escutar.  “Este é o meu Filho querido. Escutem o que ele diz!”
 Obedecer a Jesus, seguir seus passos, caminhar com Ele é viver o que o Pai quer, é cumprir a sua vontade e, assim, deixar que se realize em nós Seu plano de amor, viver plenamente e gerar vida. A Transfiguração é o que a extrema conexão com o amor faz. É uma experiência tão intensa que os discípulos não querem mais sair dali. É o que sentimos também em um retiro, em um encontro, em um momento forte de oração. Não queremos mais sair do monte, não queremos voltar à realidade do dia a dia, tão marcada por contradições e dores.
No entanto, o amor é difusão, foi feito para dar-se. A conexão com o amor faz resplandecer e isto é para o outro. E isto se dá não em momentos, mas na vida com o Senhor, passando pelas pequenas mortes diárias – morte ao nosso ego, à preguição, ao individualismo, à superficialidade, à dispersão, ao comodismo; morte nas humilhações que nos vêm, nas dores das cruzes vividas com Ele – para ressuscitar a cada dia e assim deixar resplandecer também em nós o dom de Deus, provocando nos irmãos o desejo da vida plena.
Que o Senhor nos leve a orar e a viver com Ele. Amém!
Tania Puliera

João Elias Fernandes
Sou João, tenho 23 anos, estudante de engenharia de produção,
Jovem Mariano Vicentino. 
Caicoense, 
Moro em Campina Grande PB, onde estudo

Nenhum comentário:

Postar um comentário