quinta-feira, 27 de agosto de 2015

LECTIO DIVINA

Vigiai! 
Evangelho   -   Mt 24,42-51
Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 42 Ficai atentos! porque não sabeis em que dia virá o Senhor. 43 Compreendei bem isso: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. 44 Por isso, também vós ficai preparados! Porque na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá. 45 Qual é o empregado fiel e  prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa? 46 Feliz o empregado, cujo senhor o encontrar agindo assim, quando voltar. 47 Em verdade vos digo, ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. 48 Mas, se o empregado mau pensar: ‘Meu senhor está demorando’, 49 e começar a bater nos companheiros, a comer e a beber com os bêbados; 50 então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera, e na hora que ele não sabe. 51 Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes.
Oração: Fidelidade e prudência

“Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: Ficai atentos! porque não sabeis em que dia virá o Senhor.” (Mt 24,42)“Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa?”  (Mt24,45)
Em uma leitura apressada do evangelho de hoje parece-nos que Deus apresenta-se como aquele que nos vigia e poderá punir aquele que não lhe foi fiel. No entanto, Deus não vem para nos julgar e sim para ajudar-nos a discernir. Deus nos dá liberdade de filhos, filhos amados. O servo fiel não necessita ser vigiado, sabe o que lhe cabe fazer, quando e como agir. Não precisa do olhar fiscalizador de ninguém. Assim, nas pequenas coisas Deus espera em nós a fidelidade ao seu projeto de Amor.
Tudo nos é permitido, mas nem tudo nos convém. A prudência também é um elemento importante nesta relação com Deus e no processo da nossa conversão. Deus espera em nós a prudência. Meditar a Palavra, com escuta atenta, o coração aberto e a presença do Espírito Santo, nos ajuda nesta caminhada.
No nosso cotidiano vivemos várias situações em que perdemos oportunidades de ser fiel ao projeto de Deus. Se não nos mantemos alertas caímos em tentação: são conversas de corredor com colegas, vizinhos, entre amigos ou parentes sobre pessoas que não estão presentes, o que vira fofoca. Pequenos gestos de pegar algo emprestado e não devolver, a negligência ante uma situação de violência ou negação de direito, estacionar na vaga destinada a idoso ou deficiente, acelerar ao invés de frear quando percebe que o pedestre tem a intenção de atravessar a rua, dentre várias outras situações.
O sofrimento, a tristeza são resultados da infidelidade e da falta de prudência. Temos consciência do que fazemos e quando erramos. Quando caímos nessa tentação, geramos dor e sofrimento nos outros, mas principalmente em nós, isso porque somos fruto do amor e nascemos para o amor. Portanto, para sermos felizes devemos viver para ele - o Amor.
Façamos um exame de consciência: tenho sido fiel e prudente ao projeto de Deus?
Quais são as minhas ações que demonstram isso?
Que o Espírito Santo venha nos orientar e Jesus seja o nosso companheiro neste diálogo sincero e amoroso com o Pai. Amém.

Norma Parreiras da Silva = Lectionautas do Brasil


João Elias Fernandes

Sou João, tenho 23 anos, estudante de engenharia de produção,
Jovem Mariano Vicentino. 
Caicoense, 
Moro em Campina Grande PB, onde estudo

Nenhum comentário:

Postar um comentário