sábado, 21 de março de 2015

Jesus é o Senhor e só Ele pode curar as feridas do coração, diz o Papa em Nápoles

Em uma contundente mensagem do Papa Francisco aos criminosos e seus cúmplices da cidade de Nápoles, o Pontífice exclamou: “Convertam-se ao amor e à justiça”! A Praça do Plebiscito acolheu a milhares de entusiastas pela visita do Papa Francisco e foi o lugar escolhido para que o Pontífice celebrasse a Eucaristia antes de transladar-se ao presídio de Poggioreale, onde almoçou com um grupo de presos.

Comentando o Evangelho em sua homilia, o Santo Padre assegurou que “a palavra do Senhor, tanto ontem como hoje, provoca sempre uma divisão entre quem a acolhe e quem a rechaça”.

“Às vezes um contraste interior se acende também em nosso coração; isto acontece quando advertimos a fascinação, a beleza e a verdade das palavras de Jesus, mas ao mesmo tempo a rechaçamos porque nos confronta e nos custa muito observá-las”.


“Hoje vim a Nápoles para proclamar junto a vós: Jesus é o Senhor!”. Neste momento o Papa pediu que os presentes e repetissem a frase e acrescentou: “Só ele tem palavras de misericórdia que podem curar as feridas de nosso coração. Só ele tem palavras de vida eterna”.

Francisco acrescentou que “a palavra de Cristo é potente: não tem a potência do mundo, mas a de Deus, que é forte na humildade, também na debilidade”.

“Sua potência é a do amor: um amor que não conhece limites, um amor que nos faz amar aos outros antes que a nós mesmos. A palavra de Jesus, o santo Evangelho, ensina que os verdadeiros bem-aventurados são os pobres de espírito, não os violentos, os trabalhadores da paz e da justiça. Esta força muda o mundo!”, exclamou.

O Papa indicou que os cristãos estão chamados a anunciar e a levar a todos “a ternura, a amizade de Deus”. Algo que, sobre tudo, “devem realizar os sacerdotes”, levando a misericórdia a todo homem.

“Cada paróquia e realidade eclesiástica deve converter-se em santuário para quem procura Deus e deve ser casa de acolhida para os pobres, idosos e quantos se encontram na necessidade. Vão e acolham: assim palpita o coração da mãe Igreja e de todos seus filhos”.

“Quando os corações se abrem ao Evangelho, o mundo começa a mudar e a humanidade ressurge!”, disse entre aplausos.

“Não cedam à tentação do dinheiro fácil ou aos ganhos desonestos. Reajam -pediu- com firmeza às organizações que exploram ou corrompem os jovens, os pobres e os fracos, com o cínico comércio da droga e outros crimes”.

“A corrupção e a delinquência desfiguram o rosto desta bela cidade”, e mandou um recado aos criminosos e seus cúmplices: “Convertei-vos ao amor e à justiça! Deixem-se encontrar pela misericórdia de Deus! Com a graça de Deus, que perdoa tudo, é possível retornar a uma vida honesta. Também as lágrimas das mães de Nápoles, misturadas com as de Maria, a Mãe celeste invocada na Piedigrotta e em muitas igrejas de Nápoles, lhes suplicam”.

O Papa sublinhou que “é o tempo de resgate para Nápoles: este é meu desejo e minha oração para uma cidade que tem tantas potencialidades espirituais, culturais e humanas, e sobre tudo tanta capacidade de amar”.

NÁPOLES, 21 Mar. 15 / 01:41 pm (ACI).
Fonte: http://www.acidigital.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário