segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

"Vale a pena ler de novo": JUMA NEWS 3º edição





No vale a pena ler de novo, iremos relembrar algumas das publicações que mais marcaram durante esses quase 5 anos do Blog Vicentinos do Asfalto. 
Nada melhor que começar com o quadro mais querido, o "Juma News" que em sua 3ª edição, entrevistou  o nosso queridíssimo assessor Yano Medeiros.


Nome: Yano Medeiros do Nascimento.
Idade: 30 anos.
Profissão: Professor de História.
Naturalidade: Parelhas - RN/ Brasil.
Endereço: Rua Paracati, nº 85, Bloco “E”, Ap. 303, Bairro: Planalto / CEP.: 59073-100 / Natal-RN.

- Como conheceu a JMV? 
Por meio de um amigo (Wancley) que insistia muito em me convidar para participar das reuniões da JMV.
- Há quanto tempo está na JMV? 
Há 10 anos (a JMV entrou na minha vida no dia 14 de abril de 2001).
- Já que faz muito tempo que participas da JMV, qual o momento vivido por você que consideras inesquecível?
 Na verdade há vários. Mas aquele que considero o momento impar foi o dia em que me consagrei na JMV. Foi emocionante.
- Sabemos que você é um grande professor de história. Metodologicamente, você utiliza sua profissão para ensinar também o que aprendeu com a JMV? (Se sim, responda a questão 5. Se não, pule para a questão 7). 
Sim.



- O que você faz para conciliar o que aprendeu na JMV, com a sua profissão? Transmito os ensinamentos aos alunos utilizando princípios básicos que aprendi na JMV, como respeito, solidariedade, dignidade e amor.
- A propósito, cite para nós dois exemplos de algo que aprendestes com a JMV. 
A ser uma pessoa comunicativa e criativa. Isso tudo aprendi na vivência JMV.
- O que a JMV representa pra você? 
Essa associação representa a grande autora do que sou hoje.
- Qual foi a pessoa que mais te marcou na caminhada da JMV?
 Essa pergunta é injusta. Pois foram tantas as pessoas que marcaram a minha vida na JMV. Digo sempre que jovens mariais vicentinos são as pérolas de Maria no mundo de Cristo. Mas respondendo o que se deseja, a pessoa que mais marcou a minha caminhada na JMV foi Clarissa de Paiva (atual Secretária Nacional JMV). Com ela aprendi muito sobre a JMV. A considero uma pessoa fantástica e de Deus.
- Quais os efeitos que a JMV causou na tua vida?
 A JMV é responsável pela formação do SER que hoje me considero. Existia um Yano antes da JMV e agora outro Yano depois da JMV. Esse movimento é revolucionário. Não tem como conhecê-lo e permanecer o mesmo. A JMV é sinônimo de transformação.
- Yano, quem te conhece sabe do teu carinho pela JMV, e para com os pobres, portanto, como te sentes servindo de exemplo para muitos Jovens Mariais Vicentinos?
 Exemplo aqui só o de Jesus Cristo. Eu, Yano Medeiros, apenas cumprir com amor a minha missão na JMV. Se isso serviu de exemplo foi porque imitei os ensinamentos deixados por Cristo. Sempre busquei a simplicidade e valorizar em primeiro lugar o jovem.
- Se você pudesse voltar no tempo, o que você faria de diferente na JMV?
 Nossa!!! Essa pergunta é tentadora. Mas se eu pudesse voltar no tempo em que fui presidente regional na primeira gestão, promoveria o Encontro Potiguar JMV (unindo todas as JMV’s do Estado do Rio Grande do Norte). Seria um evento entusiasmante e renovador para a juventude do RN. Na época essa minha ideia foi aceita, mas infelizmente não a colocamos em prática. Faltou um pouco mais de trabalho, principalmente da minha parte.
- Enquanto presidente do Regional Natal, qual era sua maior prioridade?
 Trabalhar a formação humana e espiritual do jovem marial vicentino. Priorizava o mais simples dos jovens nas formações JMV. Sempre acreditei que a diferença e a revolução para uma JMV melhor foram realizadas nas mãos dos pequeninos da Juventude Marial Vicentina. Infelizmente ainda há pessoas que só dão atenção para aqueles que parecem ou representam ser alguma autoridade na JMV.
- Você acredita que seja possível conciliar a vida particular com a JMV? 
Sim, eu acredito. Essa missão não é nada fácil. Mas, é possível em qualquer lugar em que esteja um jovem marial vicentino fazer a diferença assumindo um papel na família, nos grupos de amigos, no trabalho e outros mais.
- Qual o segredo para perseverar na JMV tornando-se um “Jovem Marial de sucesso”?
 “Jovem Marial de sucesso”. Interessante essa expressão. Não sei se sou um “Jovem Marial de sucesso”, mas tenho uma dica para perseverar na JMV. Irei enumerar algumas: 1º) Buscar se inserir nas formações (Cuprejuma e Consagração); 2º) Assumir uma postura política no movimento, participando de cargos na coordenação (sejas das equipes do grupo, do Regional, Provincial, Nacional ou Internacional) – JOVENS NÃO SE DESVIEM DAS OBRIGAÇÕES DAS COORDENAÇÕES, POIS SÓIS IMPORTANTES PARA A CONTINUIDADE DA ASSOCIAÇÃO; 3º) Participar das Assembléias e Congressos; 4º) Estudar os documentos da JMV; 5º) Se envolver com os outros ramos da Família Vicentina; 6º) Jamais cultivem discórdias com outros jovens da JMV, pois quem mais sofre com isso é o movimento. A JMV não é grupo particular de ninguém, somos todos instrumentos nele. Os verdadeiros proprietários da JMV são Jesus Cristo e Nossa Senhora; - AGORA O MAIS IMPORTANTE - 7º) Entender o verdadeiro sentido da Caridade, conheça o pobre e deixe ele te evangelizar. Torne-se igual ao pobre, como já disse São Vicente, “os pobres são os nossos verdadeiros senhores e mestres”.
- Você já fez muito pela JMV, concorda conosco?
 Não me considero promotor de muito benefício para a JMV. Na verdade fiz apenas o que fui capacitado pelo Espírito Santo a fazer. Se dizem que fiz alguma coisa a mais era porque trabalhei junto a uma equipe fantástica de jovens mariais vicentinos, onde cultivávamos respeito, amor e união. O segredo é cumprir o que foi definido a fazer e partilhar todas as atividades com os outros irmãos em JMV. O jovem marial vicentino deve ser ousado.
- Uma de muitas das suas contribuições para a JMV, é a idéia dos “Vicentinos do Asfalto”. De onde surgiu esta idéia? 
Essa ideia é engraçada. Tudo começou quando eu e alguns jovens mariais vicentinos compramos cada um uma moto (outros jovens já tinham). Então pensamos em fazer caridade usando as motos como meio de locomoção. Daí surgiu a expressão “Vicentinos do Asfalto”. Mas esse projeto só foi a frente mesmo após Nino (atual Presidente Regional), Rogério (Tesouraria Regional) e João Elias (JMV Caicó) terem criado um blog para divulgarem esse ramo interativo e missionário da JMV. O mais hilário é que cada jovem criou um nome para própria moto. Esse é mais um veiculo na expansão da Caridade.
- Uma vez você falou para um Jovem Marial a diferença entre “tempo de grupo” e “vivência em grupo”, pode contar para nós qual é a diferença? 
Não desmerecendo o tempo de caminhada de um membro da associação, mas que isso não seja um único meio para definir um autentico JMV. Ao meu ver, o verdadeiro jovem marial vicentino, independente do tempo de grupo, é aquele que passou por situações problemas e conseguiu resolvê-las, que assumiu o projeto de vida em JMV com espírito e verdade, que não resistiu em ser membro de uma coordenação de grupo, que foi as ruas para conhecer e amar o pobre, que buscou a formação de um JMV e tantas outras ocorrências. Portanto jovem marial vicentino, viva intensamente a JMV. Se não sabes cantar, cante; se não sabes palestrar, palestre, se não sabes fazer lembrancinhas para um evento da JMV, faça-o mesmo assim, se não sabes conversar com um pobre, ouça-o. Vivencie tudo isso ao mesmo tempo. Sedes ousados. Pois o “TEMPO É HOJE”.
Agora um bate e volta (Defina em poucas palavras):
- Amor: É a base para todo o relacionamento e atitude.
- Família: São todos aqueles que compartilham suas vidas comigo.
- Amigo: Por toda a vida.
- Alegria: Meu dia a dia.
- Cor: Azul.
- Música: “Hoje Livre Sou” – cantor Valmir Alencar.
- Lugar: Rua Du Bac (Paris – França). Anseio um dia está por lá.
- Nossa Senhora: Mãe da minha querida JMV.
- Jesus Cristo: Representa todo o sentido da caridade e amor tenho aos pobres.
- JMV: ATÉ O FIM.
- Qual seu recado para os que ainda não fazem parte da JMV?
 Conheça e viva essa ideia chamada JMV. A vivência não é fácil, mas vale a pena.
- Qual a dica que você deixa para os jovens que estão afastados do grupo? Pratiquem o que aprenderam nas formações JMV. Visitem um grupo de base JMV e dê o seu testemunho aos novos jovens do movimento. Podem até estarem afastados das reuniões, mas jamais afastem-se do grande ideal que é servir a Cristo na pessoa do mais necessitado.
- Se você tivesse a oportunidade de ficar cara a cara com Nossa senhora, o que falaria para Ela? 
Agradeceria a Ela por ter sugerido a criação de um movimento tão importante para mim e para os meus amados irmãos em JMV.
- Na semana que antecede o dia internacional da JMV, qual a mensagem que você deixa para todos os Jovens Mariais Vicentinos do mundo? 
Vamos todos viver a historicidade de 1830, atendendo ao pedido que Nossa Senhora fez a Catarina Labouré. Sejamos autênticos jovens mariais vicentinos. Sejamos JMV até o fim.


- DESEJO TAMBÉM EXPRESSAR DUAS CONSIDERAÇÕES FINAIS:
1º) Jovens mariais vicentinos, respeitem sempre os membros mais antigos, mesmo se eles estiverem afastados das reuniões. Pois a JMV que você se insere deve a todo um esforço passado provido por eles. Sugiro que os convidem para conhecer os seus testemunhos de JMV. É um verdadeiro desenterrar de tesouros. Aprenda também com eles.
2º) Jamais deixe que a promoção de um cargo elevado de coordenação o afaste daquele estilo simples de jovem marial vicentino que um dia já fostes. Os maiores jovens mariais vicentinos que conheci em minha caminhada sempre conservaram a humildade e a simplicidade em ser um verdadeiro JMV. Esses aí são eternos. Nunca serão esquecidos. Serão sempre amados pela JMV.

JUMA NEWS

Jornalismo de qualidade só pra você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário