quinta-feira, 23 de maio de 2013

Mensagem diária: Como eu amo meu próximo?

Todos nós temos problemas, é inevitável que você não sofra com o sofrimento de alguém que você ama, porém, muitas vezes eu sofro em demasia por não perceber que aquela outra pessoa não sou eu. O meu amor por ela tem que ter limite. Não trate o amor como algo doentio. Você só terá equilíbrio para ajudar o outro, se colocar limites. Você pode interferir na escolha do outro com palavras de incentivo, com aconselhamentos, porém, a decisão de mudança não é sua. Sei que não é fácil, mas, se eu não estabelecer esse limite, eu vou sofrer demais pelo outro e consequentemente afetar a minha própria vida. Eu não posso amar mais o outro do que a mim mesmo, pois, não posso dar aquilo que eu não tenho. Em alguns momentos da minha vida, eu descobri que se não cortasse o vínculo com uma determinada situação de uma pessoa, ela não se livraria daquele sentimento doentio. Por incrível que pareça, muita gente quer permanecer sofrendo, por acreditar que, se parar de sofrer não terá a atenção das pessoas. Nós não podemos ficar fazendo manutenção de vitimas. O conselho que eu der tem que valer, porque senão, eu estabeleço uma relação de doença, e isso vai fazer mal para mim e para a outra pessoa. O problema não pode tirar de nós, a capacidade de administrá-lo. Quanto mais eu me vejo como "coitadinho", mas eu sinto a necessidade de contar meus problemas para as outras pessoas. Não trate o seu sofrimento como uma fonte de afeto. Quando sofremos juntamente com o outro, nós perdemos a oportunidade de ajudá-lo. Se eu tiro os meus problemas das minhas costas e jogo para o outro, eu posso está comprometendo uma amizade, pois, o meu amigo pode um dia se cansar de carregar o meu fardo. Pense nisso!

Por César Augusto
Facebook: https://www.facebook.com/cesar.augusto.50552338?hc_location=stream

Nenhum comentário:

Postar um comentário