segunda-feira, 3 de agosto de 2015

LECTIO DIVINA

Nossa parte e a do Senhor na travessia da vida (Mateus 14,13-21)

“Ao saber o que havia acontecido, Jesus saiu dali num barco e foi sozinho para um lugar deserto. Mas as multidões souberam onde ele estava, vieram dos seus povoados e o seguiram por terra. Quando Jesus saiu do barco e viu aquela grande multidão, ficou com muita pena deles e curou os doentes que estavam ali.
De tardinha, os discípulos chegaram perto de Jesus e disseram:
- Já é tarde, e este lugar é deserto. Mande essa gente embora, a fim de que vão aos povoados e comprem alguma coisa para comer.
Mas Jesus respondeu:
- Eles não precisam ir embora. Deem vocês mesmos comida a eles.

Eles disseram:
- Só temos aqui cinco pães e dois peixes.
- Pois tragam para mim! – disse Jesus.
Então mandou o povo sentar-se na grama. Depois pegou os cinco pães e os dois peixes, olhou para o céu e deu graças a Deus. Partiu os pães, entregou-os aos discípulos, e estes distribuíram ao povo. Todos comeram e ficaram satisfeitos, e os discípulos ainda recolheram doze cestos cheios dos pedaços que sobraram. Os que comeram foram mais ou menos cinco mil homens, sem contar as mulheres e as crianças.”

Na oração de hoje, vamos pedir ao Senhor que nos conduza na travessia do nosso deserto, assim como conduziu ao povo eleito, e nos sustente com o alimento da Sua própria vida.
O evangelista Mateus, ao ressaltar “o lugar deserto”, lembra a figura de Moisés, que conduziu o povo numa travessia de 40 anos e rogou a Deus muitas vezes por suas necessidades. Deus envia o maná para alimentar o povo no deserto. Aqui, o alimento oferecido na ação de graças de Jesus ao Pai remete à Eucaristia, na qual Ele mesmo se faz alimento. Por isso a Eucaristia é fonte da vida cristã. Nela nos alimentamos para a caminhada de configuração com Cristo. É também ápice, pois nessa identificação dia a dia, passo a passo, somos chamados a mais, até a máxima doação de nós mesmos. Cada um de nós e a comunidade, feita Corpo de Cristo na própria Eucaristia.
O que cabe a nós? A oferenda. “Deem vocês mesmos comida a eles.” Os discípulos relutaram, pois o que tinham era pouco demais para tanta gente. Nós também relutamos. “Quem sou eu para responder a tantas necessidades do mundo atual?” “O que são meus dons diante do tamanho dos desafios que encontro no dia a dia para viver a missão?”
Mas o que Jesus diz é: “Pois tragam para mim!” Cabe a nós oferecer. Cabe ao Senhor multiplicar. Ele transforma a oferta numa ação de graças ao Pai. Assim, todos comem e ficam satisfeitos. Os doze cestos fazem menção às doze tribos de Israel. A Igreja é o novo Povo de Deus, congregada pela Eucaristia.
Que o Senhor conduza a cada um de nós e à sua Igreja ‘pelas estradas da vida”, da Vida plena.

Tania Pulier,

João Elias Fernandes
Sou João, tenho 23 anos, estudante de engenharia de produção,
Jovem Mariano Vicentino. 
Caicoense, 
Moro em Campina Grande PB, onde estud

Nenhum comentário:

Postar um comentário