quinta-feira, 30 de julho de 2015

IRMÃ LÚCIA VIEIRA, FILHA DA CARIDADE, EXEMPLO DE DEDICAÇÃO !



Irmã Lúcia Vieira, chegou a Caicó em 1953, em conjunto com outras três irmãs de Caridade. Tinham como missão dar vida ao Abrigo e Dispensário Professor Pedro Gurgel, fundado a 16 de agosto de 1946 por Mons. Walfredo Gurgel, com a cooperação da Diocese, mas que até aquele momento ainda não entrara em atividade.


O grupo inicial de religiosas eram: Irmã Severina Borba, primeira superiora(1951), Irmã Maria Dutra e Irrmã Lucia (1953), Vieram em 1954 e 1956, para complementar as pioneiras, a Irmã Vicência Nogueira (1954) e a Irmã Rosalie Santos (1956). Todas, com exceção da Irmã Lúcia, já encontam-se na casa do Pai.


Como um sentimento de verdade, há uma crença no Bairro Paraíba, de Caicó, de que Irmã Lúcia nunca morrerá. Ela apenas se encantará, um dia, sob o manto de nossa Senhora das Graças e de lá continuará a olhar e encaminhar para todo o bem, os filhos e filhas deste bairro e cidade.
A história do Abrigo Pedro Gurgel se confunde com a do próprio bairro e, consequentemente com a da própria Irmã Lúcia. Tem sido ela que há décadas, vem criando pela força da caridade cristã e da solidariedade humana muitos de nossos filhos e filhas, orientando sempre pelo caminho do bem, da paz e da fraternidade. Uma mulher filha de Deus que nunca pediu nada para si, pois seu olhar enxerga apenas o próximo.
Caicó deve muito a esta senhora, pois como educadora já formou dignamente para servir a nossa sociedade, vários cidadãos de bem, que como pais, mães e em várias profissões, das mais simples as mais complexas, em toda parte do mundo, trazem na lembrança e na condução de suas vidas, os seus ensinamentos.
O maior adjetivo que define esta mãe, é a de que ela é uma autêntica reprodutora do amor de Deus. Que nós possamos tê-la por muitos anos, pois seus ensinamentos, exemplos de humildade, perseverança e fé, a nós serve de lição e conforto para que compreendamos que é possível sim, olhar sempre e estender a mão a aqueles que de nós precisam de pelo ao menos, um sorriso.
É como diz a canção: “PROVA DE AMOR MAIOR NÃO HÁ, QUE DOAR A VIDA A SEU IRMÃO”.

 Com seus 86 anos, ativa e lúcida é uma perfeita Filha da Caridade, em sua maior expressão. Uma digna filha de São Vicente e Santa Luísa.
.

De pequena estatura, Irmã Lúcia, que na vida civil é Maria Amélia Vieira, e na intimidade da família é Amelinha, nascida na Rua da Cruz, em Viçosa do Ceará, em 14 de março de 1926 é a segunda filha de Francisco (1898 - 1975) e Luíza Vieira (1905 1978). No ano de 1939 toda a família mudou-se para a casa da rua Padre Beviláqua, onde vivem até os dias duas de suas irmãs, Neném e Carmélia, e é o referencial da família, onde estão guardadas as suas lembranças e seus sonhos.


Professora primária, catequista e integrante da Pia União das Filhas de Maria, em Viçosa, onde tudo corria em torno da Igreja Católica, logo surgiu sua vocação religiosa, ingressando aos 19 anos naCompanhia das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, sendo seu postulantado e noviciado realizado na Cidade de São Benedito, Ceará. Terminado este período foi enviada pela Província de Fortaleza das Filhas da Caridade, para Caicó, no Rio Grande do Norte, de clima, quente e seco, bem diferente da serra da Ibiapaba, de clima frio e úmido, onde nascera e crescera. Mas “o amor de Deus e sua providência” a ajudaram a ambientar-se tão bem aquela terra que se tornou símbolo, procurada pelo povo simples e pelos detentores do poder.

Um tempo destes, lá em Viçosa, percebemos que não tinha mais a plena visão em um de seus olhos, e uma de suas irmãs lhe perguntou:

- "Amelinha, você não nos contou de seu problema nos olhos.... "

Ao que ela respondeu, de imediato:

- "De que me valeria o voto de pobreza, se eu me lamentasse das minhas pobrezas e minhas limitações. Aceito-os como graça de Deus!"
Fontes:robsonpiresxerife e iconacional.blogspot.com


João Elias Fernandes
Sou João, tenho 23 anos, estudante de engenharia de produção,
Jovem Mariano Vicentino. 
Caicoense, 
Moro em Campina Grande PB, onde estud

Nenhum comentário:

Postar um comentário